Mobilização impede 600 demissões na GM

Após muita luta, o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos fechou acordo que impede a demissão de 600 pessoas, garantindo emprego aos 10,5 mil trabalhadores, exceto aposentados, até 30 de dezembro.

No início de setembro, a General Motors anunciou um “excedente” de 600 trabalhadores, que seriam demitidos. O sindicato não aceitou e partiu para a mobilização. Realizou várias assembléias, que votaram a greve em caso de demissão, e buscou uma saída para evitar a demissão em massa.

Nesse período, foram realizadas também assembléias com os trabalhadores com contrato por tempo determinado, que seriam os principais atingidos. Em sua maioria jovens de até 25 anos, participaram ativamente e fizeram uma passeata pela cidade em busca do apoio da população.

Pelo acordo, serão efetivados os trabalhadores por tempo determinado, mesmo os que estão em licença remunerada. O PDV (Plano de Demissão Voluntária) aberto pela empresa aos aposentados, teve benefícios ampliados. A GM também fará a antecipação da aposentadoria, pagando a contribuição ao INSS por até 18 meses. Assim, o trabalhador que aderir ao PDV poderá receber 40% sobre o FGTS.

“Esse acordo é positivo. A empresa no início estava intransigente. E só conseguimos fechar o acordo porque ela percebeu a força do movimento, que estava ganhando apoio dentro e fora da fábrica”, afirmou o presidente do sindicato, Luiz Carlos Prates, o Mancha.

Post author Jocilene Chagas, de São José dos Campos (SP)
Publication Date