Mobilização faz com que prefeito de Mesquita (RJ) receba trabalhadores da educação

Após nova paralisação de suas atividades e a realização de ato público em frente à prefeitura, no dia 10 de dezembro, os trabalhadores em educação de Mesquita, região metropolitana do Rio de Janeiro, foram recebidos pelo prefeito Artur Messias (PT) em audiência pública.

Ao longo da audiência pública com cerca de 300 trabalhadores, a categoria pôde questionar as atuais condições de trabalho (salas superlotadas, terceirizações, rede física sem manutenção, falta de material, etc.) e, sobretudo, cobrar do prefeito uma educação pública, democrática e de qualidade.

De acordo com o jeito petista de governar – “eu nada sabia” -, o prefeito reeleito recorria sempre aos seus auxiliares na medida em que as denúncias eram apresentadas.

Ao termino de quase três horas de audiência, a categoria obteve do prefeito reeleito, além de um calendário de audiências para dar prosseguimento às negociações, o compromisso em conceder um reajuste acima de 6% em 2009, regularização do pagamento do FUNDEB e a realização de um concurso público já no primeiro semestre do próximo ano.

Para a categoria ficou evidente que tanto a audiência, assim como os compromissos assumidos pelo prefeito foi o resultado da luta da categoria. “Há meses o prefeito protelava esse encontro e se recusava escutar a categoria, mas a partir de sua mobilização, ele não teve alternativa. Fica para todos nós a lição de que apenas a luta pode mudar a vida dos trabalhadores”, afirmou o professor Anderson Rocha, militante do PSTU.