Manifesto do PSTU e do PSOL sobre o segundo turno em Belo Horizonte

A Frente de Esquerda Socialista (PSTU/PSOL) disputou o primeiro turno das eleições com a candidatura de Vanessa Portugal a prefeita, apresentando para a população um programa vinculado às principais reivindicações dos trabalhadores e trabalhadoras, nas áreas de moradia, educação, saúde, trabalho etc.

Neste segundo turno, a Frente se posiciona perante o quadro de disputa, apresentando as suas posições sobre os concorrentes e convidando a população a continuar as lutas por uma vida mais digna.

Márcio Lacerda e Leonardo Quintão são representantes das elites. Quem vencer governará sob uma grave crise econômica, com recessão, desemprego em massa e inflação. Crise que o Presidente Lula, ao abordá-la, mente falando que a mesma não atingirá o país, mas ela já nos atinge. Um exemplo é o fato da Fiat de Betim anunciar férias coletivas para seus funcionários.

No início do segundo turno, estamos assistindo, no lugar de um debate de alto nível como Vanessa apresentou durante a sua campanha, baixarias. Ambos concorrentes prometem o paraíso para a população de BH.

Por fim, é preciso, relembrar o perfil dos concorrentes.

Lacerda na Prefeitura é a raposa tomando conta do galinheiro
Ele é um grande empresário que fez fortuna com contratos duvidosos com as estatais da área de telecomunicações. Deve tributos para a Prefeitura e não quer pagar. É o candidato mais rico do Brasil, com fortuna estimada em R$50 milhões. Uniu todos os ricos e poderosos do seu lado. A arrogância e prepotência de seus padrinhos – Aécio e Pimentel – gerou um progressivo sentimento antilacerdista e levou uma parte da população trabalhadora a descarregar votos no Leonardo Quintão.

Por outro lado, Quintão é um lobo disfarçado de cordeiro
Em 2006, Quintão foi eleito deputado federal pelas grandes siderúrgicas que doaram R$100 mil para sua campanha. Ele é parte do mesmo projeto político de Pimentel e Aécio. Veja nas palavras do próprio Quintão: “Sou aliado do governador, basta olhar as minhas votações na Assembléia. Lá em Brasília da mesma maneira”. De sua parte, Aécio declarou: “Estou muito tranqüilo porque o candidato que eu apoiei chegou no segundo turno na frente e o outro que chegou com ele disse que me apóia”

Nem Lacerda nem Quintão: vote 16 ou 50 no segundo turno
Votar 16 ou 50 é votar NULO, mas com esta posição estamos convidando a população e refletir sobre a importância e o valor do seu voto e ao mesmo tempo reafirmando a proposta de um projeto alternativo comprometido com a maioria.

Ambos candidatos Leonardo e Lacerda são da base de apoio dos governos de Lula, Aécio e Pimentel, e certamente governarão BH aplicando um projeto neoliberal, que ataca os direitos dos trabalhadores, mantém os serviços terceirizados e precários, arrocha os salários e favorece as grandes empresas.

Nós, trabalhadores e trabalhadoras, continuaremos trilhando o caminho das lutas. Vamos nos preparar para as grandes jornadas que se avizinham em defesa do emprego, do salário, da moradia, por uma vida digna, etc.

Belo Horizonte, 13 de outubro de 2008