Justiça reconhece estabilidade de dirigente sindical dos rodoviários do Ceará, demitida pela empresa

PSTU Ceará

A dirigente sindical e membro da CIPA da empresa São José, Cibele Christian, havia sido demitida pela empresa que presta serviço de transporte urbano em Fortaleza (CE). No ultimo dia 18 de novembro, no entanto, a Justiça reconheceu a estabilidade de Cibele. Um golpe contra as atitudes antissindicais dos empresários.

Os administradores da São José queriam se ver livres da dirigente e alegaram que ela não possuía estabilidade na CIPA. Um evidente caso de perseguição aos lutadores, já que a mesma era também membro do Conselho Fiscal do Sintro (o sindicato dos rodoviários do Ceará). As empresas da base da categoria de rodoviários no Ceará possuem um histórico de perseguição e demissões de dirigentes sindicais. Vários dos membros da diretoria do sindicato já foram demitidos por justa causa. Os governos do estado do Ceará, Camilo Santana (PT), e do município de fortaleza, Roberto Claudio (PDT), são aliados dos empresários e assistem calados a essa perseguição.

A decisão da Justiça reconhece a estabilidade da dirigente, mas é limitada porque não ordena o seu imediato retorno à empresa. Segundo Cibele, “a minha demissão foi um ataque ao direito de organização dos trabalhadores e essa vitória é importante para toda nossa categoria porque mostra aos empresários que eles não vão conseguir nos calar. Nós não queremos que a empresa pague a minha estabilidade, queremos o meu retorno para dentro da garagem, para junto dos meus companheiros. Eles me deram um mandato para ajudar a organizar a sua luta e é isso que eu quero continuar fazendo”.

Em um momento em que a categoria de rodoviários sofre vários ataques, como a recente demissão de milhares de cobradores com a implantação do chamado “autoatendimento” e, por outro lado, com a escalada autoritária do governo Bolsonaro que ameaça direitos democráticos e a liberdade de organização dos trabalhadores, a conquista jurídica do caso da dirigente Cibele representa uma vitória para o conjunto da nossa classe que precisa manter de pé a bandeira da luta e não aceitar nenhuma perseguição ou retaliação aos lutadores.