Iraquiano que atirou sapatos em Bush é condenado a três anos de prisão

Jornalista vai ficar três anos preso

O jornalista Muntader al Zaidi foi condenado por ‘ofensa a chefe de Estado’O jornalista iraquiano que virou herói no mundo inteiro ao atirar seus sapatos no então presidente norte-americano George W. Bush, foi condenado nesse dia 12 de março a nada menos que três anos de prisão. Muntada al Zaidi, repórter da TV árabe Al Bagdadia, interrompeu uma entrevista coletiva que Bush concedia durante visita surpresa no Iraque no dia 14 de dezembro, aos gritos de “esse é o seu beijo de despedida, cachorro”, enquanto atirava seus sapatos num atônito presidente.

As imagens do protesto rodaram o mundo e transformaram al Zaidi em referência no repúdio à ocupação norte-americana do Iraque. As sapatadas no Oriente Médio têm uma conotação de forte ofensa, por ser os calçados considerados impuros. O jornalista foi preso no mesmo dia e a sessão do julgamento que o condenou durou apenas uma hora, sob o crime de “agressão a um chefe de Estado visitante”, que poderia ter-lhe custado 15 anos de cadeia. Ele foi julgado no Tribunal Central Penal, que julga crimes considerados graves, como o de terrorismo e condenado a “ofensa” a chefe de Estado.

A imprensa afirma que o jornalista foi ovacionado pelo público ao chegar no tribunal. De fato, pesquisas realizadas por várias redes de TV mostram que 62% dos iraquianos o consideram um “herói”. Os sapatos apontados para o alto viraram marca nos protestos contra a ocupação no Iraque e as sapatadas viraram símbolo de protestos em todo o mundo contra a invasão norte-americana.

A rapidez do processo e a condenação revelam a farsa do governo iraquiano, completamente submetido aos ditames de Washington.

LEIA MAIS

  • [16/12/2008] No Iraque, sapatos contra fuzis
  • PSTU exibiu sapatadas na TV, em seu programa nacional, em janeiro. Assista