Haitianos lutam contra ocupação brasileira

Confrontos na favela haitiana de Bel Air já deixaram 55 mortos e inúmeros feridosOs soldados brasileiros que integram a força de ocupação no Haiti, sob a bandeira da ONU, mas a mando de Washington, reprimem os insurgentes haitianos com uma violência cada vez mais brutal. Os rebeldes que lutam contra a deposição do presidente Jean-Bertrand Aristides se concentram na favela de Porto Príncipe, chamada de Bel Air. Nas últimas semanas, a favela foi palco de um movimento de resistência rebelde intitulado “Operação Bagdá”.

Porém, se os insurgentes haitianos se inspiram na heróica resistência iraquiana, os brasileiros seguem o exemplo das tropas invasoras norte-americanas. No último dia 22 de outubro, um policial haitiano foi violentamente espancado pelas tropas brasileiras.

No dia 24 de outubro, uma incursão de 150 soldados brasileiros em conjunto com uma força de policiais do Haiti resultou na morte de um policial. Todas as manifestações contra o governo títere pró-americano são prontamente reprimidas pelas tropas brasileiras.

Como descreve um informativo eletrônico do exército brasileiro sobre as ações das tropas numa manifestação no Haiti: “os movimentos (da manifestação) foram monitorados pela Brigada Brasileira: pelo ar, com a utilização de helicópteros; por terra, pelo estabelecimento de Pontos de Bloqueio em três das principais confluências de avenidas da capital. A ação de gangues gerou um princípio de tumulto que resultou, inclusive, em troca de tiros com a tropa brasileira”.

Desespero

Percebendo o atoleiro em que se meteu, o comando das Forças Armadas do Brasil passou a fazer declarações desesperadas, exigindo da ONU o envio de mais tropas e recursos para o Haiti.

A ONU deveria ter enviado para o país 6 mil militares, porém até agora a missão de “estabilização” conta com cerca de 3 mil soldados, sendo 1,2 mil brasileiros. Porém, as ações dos rebeldes não param de crescer.

Segundo o The Economist, oficiais norte-americanos teriam “sugerido” à ONU uma ação mais dura contra os insurgentes, conselho que os brasileiros parecem estar seguindo a risca.

Além disso, o ministro da Defesa, José Viegas, já anunciou a prorrogação da permanência das tropas brasileiras na missão de ocupação da ONU-EUA.
Post author Diego Cruz, da redação
Publication Date