Greve na Bahia ganha força

Estudantes da UFBA demonstram grande disposição de lutaA greve dos estudantes da UFBA, a Universidade Federal da Bahia, segue forte desde o dia 15 de julho. O movimento começou reivindicando pautas específicas das faculdades da área da Saúde, mas deu um salto ao incorporar a luta contra a reforma Universitária, que se tornou o principal ponto de pauta. A UNE/ UJS, estava contra a greve e não se mobilizou. Ao perceber, pelos ânimos dos estudantes, que a paralisação era inevitável, se relocalizou, passando a defender que a greve fosse somente pela pauta específica e nada falasse sobre a reforma.

A corrente petista Articulação de Esquerda, que dirige o DCE, defendeu que a greve fosse contra a reforma, mas que nada se falasse do governo Lula. O Movimento Ruptura Socialista e a juventude do PSTU defenderam desde o início que a greve fosse contra a reforma Universitária do governo Lula, afirmando que qualquer ponto atendido da pauta específica irá pelo ralo caso não derrotemos a reforma e que os estudantes não podem confiar na UNE, dirigida pelo PCdoB, e no DCE, porque ambos defendem o governo.

No dia 3, os estudantes ocuparam a reitoria da UFBA. É impressionante a disposição de luta dos estudantes que, não fosse o papel governista da UNE, poderiam estar diante de uma luta nacional.
Post author David Rehem, de Salvador (BA)
Publication Date