Governo Lula está patinando na lama

Novas denúncias derrubam Silvio Pereira e ameaçam GenoinoNovas denúncias publicadas nesta semana estão fazendo os dirigentes do PT se afogarem num mar de lama. No dia 2, a revista Veja publicou documentos que comprovam que o publicitário Marcos Valério, segundo Roberto Jefferson – o “carequinha” que operava o mensalão com Delúbio Soares –, foi avalista de um empréstimo de R$ 2,4 milhões do banco BMG para o PT. Entretanto, Marcos Valério não se limitou a avalizar o empréstimo, como também pagou R$ 350 mil, correspondente a uma de suas parcelas.

A revelação do documento foi um duro golpe para o PT. Se haviam dúvidas pelo fato de não existirem provas materiais que ligassem a cúpula petista com o empresário picareta, a apresentação do documento expõe essas relações de maneira irrefutável.
O presidente do PT, José Genoino, a princípio negou a operação e disse que seu partido nunca teve relações financeiras com Marcos Valério. Encurralado com a apresentação das provas, Genoino disse, no fim das contas, que assinou o contrato de empréstimo sem ler. Uma explicação no mínimo estapafúrdia. “Não me sinto traído por ele (Delúbio). No PT não tem isso de traição. Temos uma grande confiança entre os dirigentes. Assinei o contrato com o Banco de Minas Gerais em confiança ao Delúbio. Confiei nele e continuo confiando”, disse Genoino, na maior cara de pau.

No rastro do dinheiro
Em seu depoimento na CPI dos Correios, no dia 30 de junho, Jefferson classificou Marcos Valério de “versão moderna e macaqueada de PC Farias”. O petebista disse que o mensalão continuou sendo pago, mesmo depois de Lula ter sido comunicado por ele sobre o esquema. Jefferson diz, entretanto, que o mensalão deixou de ser enviando em maletas para ser pago em um escritório do Banco Rural em Brasília. Seguindo as pistas dadas por Jefferson, a imprensa apurou que vários deputados estiveram no Banco Rural nos mesmos dias em que Valério esteve.

Em apenas um ano, Marcos Valério recebeu R$ 144 milhões em contratos de publicidade com empresas estatais. Seu patrimônio aumentou 60 vezes em sete anos. Em 2002, ele já tinha um patrimônio declarado ao Imposto de Renda de R$ 3,8 milhões. Em 2004, esse valor chegou a R$ 14 milhões. O grande salto se dá com o governo Lula.

Tudo isso leva a crer que Valério tenha uma sociedade secreta com o PT, onde ele seria responsável pela arrecadação de dinheiro para o partido junto a empresários e em troca levaria contratos de publicidade com estatais.

Cabeças vão rolar
A crise política ameaça degolar toda a alta cúpula do PT. Durante o fechamento desta edição, o secretário-geral do PT, Silvio Pereira, o Silvinho, também acusado de participar do esquema do mensalão, já tinha entregue uma carta renunciando ao seu cargo. O mesmo deverá acontecer com Delúbio Soares e José Genoino que recebem, inclusive de Lula, fortes pressões para deixarem seus cargos. Especula-se nos bastidores que Genoino teria acertado sua saída da presidência do PT com Lula, mas que ainda não haveria uma definição de quem poderia substituí-lo, uma vez que o presidente do partido, ainda que afastado temporariamente, é José Dirceu, afundado na lama até o pescoço, e a vice é Marta Suplicy.

Fonte inesgotável
Roberto Jefferson – que na CPI disse que “todos são iguais” a ele – afirmou em entrevista à Rede Bandeirantes que tem mais denúncias contra o ex-ministro José Dirceu e disse que as está guardando para uma possível acareação entre os dois. “Eu vou encontrar Dirceu na acareação. Tem coisas que eu guardei para ele e o país vai escutar. Vou dizer na cara dele”, disse. Nos corredores do Congresso, já se fala em cassação do mandato de Dirceu. Pelo jeito, muita lama ainda vai rolar embaixo dessa ponte…

E ele ainda diz que não sabia
Na semana passada, a tropa de choque do PT no Congresso Nacional moveu montanhas para impedir que a CPI dos Correios quebrasse os sigilos telefônico, fiscal e bancário do publicitário Marcos Valério. De nada adiantou. Com novas denúncias, os sigilos foram quebrados.

Chamou a atenção, particularmente, o empenho de Lula na tentativa de impedir o avanço das investigações. Apesar de dizer aos quatro ventos que não deixará “pedra sobre pedra”, Lula chegou a mandar imprimir uma edição extra do Diário Oficial para publicar uma Medida Provisória e impedir, dessa maneira, a instalação da CPI do Mensalão no Congresso Nacional. Tal atitude, uma intervenção mais do que clara para barrar qualquer investigação, demonstra que, ao contrário do que diz a imprensa, Roberto Jefferson e até a oposição de direita, Lula sabe e continua sabendo muito sobre os escândalos de corrupção de seu governo e faz de tudo para abafá-los. Sabe tanto que, nesta semana, a tropa governista continuará empenhada em evitar de qualquer maneira que a CPI convoque Delúbio Soares e José Genoino para depor. Teme-se que o tesoureiro e o presidente do PT entrem em contradição e falem o que não se deve. O próprio Delúbio, como noticiado no blog do jornalista Ricardo Noblat, garante que não fez nada sem o conhecimento do PT.

Post author
Publication Date