Governo gaúcho reprime manifestação de professores

Polícia avança a cavalo para cima de manifestantes
Sinsppd-RS

Trabalhadoras e trabalhadores da educação se manifestavam em frente ao Palácio Piratini na manhã desta terça-feira (23/9) quando foram surpreendidos pela truculência da Tropa de Choque da Brigada Militar. O ato, organizado pelo CPers-Sindicato, denunciava uma série de ataques do governo Yeda Crusius (PSDB) e da secretária da educação, Mariza Abreu, aos direitos dos trabalhadores em educação do estado.

Os manifestantes estavam aguardando em frente ao Palácio Piratini por uma audiência com o governo. Alguns deputados tentaram negociar a entrada de uma comissão e o recuo do restante dos trabalhadores para a praça em frente ao Palácio. No momento em que os trabalhadores estavam recuando, a Tropa de Choque chegou a cavalo, coordenada pessoalmente pelo coronel Mendes, e jogou-se com os animais para cima do conjunto dos trabalhadores, que foram empurrados e agredidos.

Mais uma vez, o governo Yeda lançou mão da barbárie institucionalizada para conter os que criticam a sua gestão – administração que até agora só significou desvalorização dos trabalhadores, desmonte do patrimônio público e um escândalo de corrupção por semana. Está claro que a criminalização de movimentos sociais, sindicais e estudantis é uma opção já tomada pelo governo, que remonta aos tempos de ditadura. A cavalaria na praça e o cassetete nas costas dos trabalhadores voltam a ser uma política de governo.

Basta!