GM dá suspensão a dois diretores do Sindicato dos Metalúrgicos

Empresa continua com ataques para tentar reduzir direitos e saláriosNesta sexta-feira, dia 4, a GM de São José dos Campos (SP) fez mais um ataque à livre organização dos trabalhadores, punindo com suspensão de 10 dias dois diretores do Sindicato dos Metalúrgicos.

Segundo a empresa, a punição foi aplicada aos diretores Vivaldo Moreira Araújo e Eliane dos Santos, em razão de uma assembléia realizada na portaria da fábrica na quinta-feira, quando foi discutida a PLR (Participação nos Lucros e Resultados) com os trabalhadores.

Para o Sindicato dos Metalúrgicos, esta postura da montadora é uma clara ofensiva contra os trabalhadores e sua entidade, com o objetivo de tentar impor banco de horas e redução de salários. Para isso, está punindo e afastando os dirigentes do seu local de trabalho.

A General Motors fala muito de “democracia” dentro de suas fábricas, mas puniu arbitrariamente dois ativistas sindicais por uma assembléia democrática que foi realizada de forma pacífica dentro da fábrica.

O Sindicato dos Metalúrgicos não vai aceitar mais este ataque da GM e vai recorrer judicialmente desta decisão.

Além disso, a campanha em defesa dos direitos segue com força total, com jornais que já foram distribuídos para a população, outdoors que estão sendo colocados na cidade e o site www.emdefesadosdireitos.com.br que já está no ar.

Uma assembléia será realizada nesta sexta-feira, às 14h, na portaria da S-10, em repúdio à punição aplicada aos dirigentes sindicais. A mobilização será intensificada para combater estes e outros ataques da empresa.