Fuera Bush: Mexicanos jogam pedras e tinta na embaixada dos EUA

Mexicanos regaem contra visita de Bush e se defendem da repressão
Reprodução

Ao chegar ao México na noite de segunda-feira, 12, Bush foi recebido por um forte repúdio. Não poderia ser diferente, pois, além da exploração do país através pelo tratado de livre comércio, o Nafta, é a população desse país que mais sofre com as duras leis antiimigrantes dos EUA.

Cerca de mil manifestantes seguravam cartazes que diziam “Bush assassino!” e “Não queremos Bush como vizinho!” em frente à embaixada norte-americana na Cidade do México. Eles jogaram pedras contra o prédio.

Um grupo de aproximadamente 50 pessoas conseguiu derrubar as barreiras metálicas que protegiam o local, jogando tinta vermelha em direção à embaixada e queimando a bandeira dos Estados Unidos.

A ação violenta da polícia, que jogou bombas de gás lacrimogêneo e pedras, deixou um saldo de pelo menos 12 feridos. Mesmo assim, não conseguiram impedir o sentimento de revolta contra o imperialismo norte-americano: em diversos pontos da cidade, era possível ver pichadas frases como “O México repudia a direita imperialista”.