“Frente Rio Socialista”: uma alternativa para os trabalhadores nas eleições

Chico Alencar e Vera Nepomuceno
Reprodução

Na tarde do dia 20 de junho, foi realizado o ato conjunto de lançamento da “Frente Rio Socialista”, organizado pelo PSTU e pelo PSOL, que lotou o Salão Nobre da Câmara Municipal.

Os mais de 200 presentes saudaram a candidatura a prefeito de Chico Alencar, deputado federal do PSOL-RJ. A candidata a vice-prefeita será a companheira Vera Neponuceno, historiadora, professora da rede pública, coordenadora geral licenciada do Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe/RJ) e militante de grande trajetória no PSTU.

Para vereador, o PSTU lançará Cyro Garcia, funcionário do Banco do Brasil e professor universitário. Cyro já foi deputado federal e presidente do Sindicato dos Bancários do Rio de Janeiro. É um dos fundadores do PSTU e atual presidente estadual do partido. Atualmente, é um dos dirigentes nacionais da Coordenação Nacional de Lutas (Conlutas).

A realidade da classe trabalhadora do Rio de Janeiro tem sido marcada, em 2008, pela dengue, pelo caos na saúde e pelo aprofundamento da violência contra as comunidades, como no complexo do Alemão e na Vila Cruzeiro. No mais recente caso – a ocupação do Morro da Providência pelo Exército – o trágico saldo foram os três jovens entregues a traficantes pelos próprios militares. Os três foram executados.

Governando para os ricos e poderosos, César Maia (DEM), Sergio Cabral (PMDB) e Lula(PT) são os grandes responsáveis pela verdadeira calamidade pública que nos atinge. Agora, na maior cara-de-pau, querem eleger seus candidatos.

Este é o cenário das candidaturas do amigo de Lula Marcelo Crivella (PRB/Igreja Universal), idealizador da ocupação do Morro da Providência pelo exército); de Jandira Feghali (PCdoB) e Alessandro Molon, representantes do governo federal nas eleições.

No outro lado desta moeda, estão os candidatos da falsa oposição de direita ao Lula: Solange Amaral (DEM) e Fernando Gabeira (PV-PSDB), continuadores da trágica administração de César Maia.

O Rio precisa de uma alternativa à esquerda em relação aos candidatos do Governo Lula e, também, em relação aos da direita. Uma candidatura com um programa alternativo que defenda a educação e a saúde públicas e de qualidade, investindo pesado nessas áreas como no transporte e no saneamento. Uma candidatura em oposição à política de (in)segurança pública de Lula e Sérgio Cabral, que só tem servido para levar o terror às comunidades.

A Lei de Responsabilidade Fiscal e a Dívida Pública do município, não passam de verdadeiras amarras para a contratação de servidores – condição para superar os gravíssimos problemas dos trabalhadores e do povo como a dengue – e como tal devem ser rompidas.

Para fortalecer e ajudar a impulsionar as lutas dos trabalhadores e do povo pobre, o PSTU constrói, junto com o PSOL, a “Frente Rio Socialista”. Votar em Chico Alencar para prefeito e em Vera Nepomuceno para vice é apostar no fortalecimento das lutas e mobilizações dos trabalhadores e do povo pobre. É votar na luta por verbas para investimentos nas questões fundamentais para superar o caos social que vivemos. É votar na luta contra a criminalização da pobreza; contra os assassinatos de nossa juventude, da população negra e pobre.

Na noite do mesmo dia, aconteceu uma festa organizada pelos dois partidos, que chegou a reunir mais de 700 pessoas numa quadra da Lapa.