Fornecedora da Embraer demite e trabalhadores entram em greve


A Graúna Aerospace, fornecedora da Embraer, anunciou hoje a demissão de 47 funcionários de sua unidade em Caçapava. Em protesto, os trabalhadores do segundo turno decidiram, em assembléia, entrar em greve por tempo indeterminado. Eles exigem o fim das demissões e estabilidade no emprego. A Graúna possui cerca de 500 trabalhadores.

O anúncio foi feito nesta terça-feira, às 4h30, durante a saída do terceiro turno e entrada do primeiro. Assim que o Sindicato foi informado sobre as demissões, enviou diretores ao local e organizou a assembléia. Cerca de 100 trabalhadores estão, neste momento, em frente à fábrica aguardando que a empresa se manifeste.

A Graúna argumentou que as demissões foram provocadas em função da crise da economia mundial, que já está afetando o setor aeronáutico. A empresa informou ainda que outros cortes deverão acontecer em breve.

“Os metalúrgicos não vão aceitar essas demissões. Era óbvio que isso começaria a acontecer, por isso o Sindicato já iniciou uma campanha em defesa da estabilidade no emprego. Os trabalhadores não pagarão por uma crise que os patrões deflagraram. Nossa palavra-de-ordem é demitiu, parou”, afirma o diretor Edmir Marcolino da Silva.

Campanha por estabilidade
O Sindicato, filiado à Conlutas, iniciou uma grande campanha em defesa da estabilidade no emprego. Nas últimas semanas tem sido realizada uma série de assembléias em empresas da categoria para discutir os reflexos da crise mundial com os trabalhadores.

O repúdio a qualquer demissão e a reivindicação pela estabilidade no emprego e pela redução da jornada, sem redução de direitos estão sendo votados por unanimidade pelos trabalhadores nas assembléias.

A Campanha também inclui outras iniciativas como outdoors que serão colocados me São José e Jacareí e pedidos de audiências com os governos federal, estadual e municipal.