Fora tropas brasileiras do Haiti

Lula viajará ao país no dia 28. É preciso organizar atos exigindo a imediata retirada das tropas.O governo brasileiro cumpre uma tarefa vergonhosa ao liderar a Minustah e manter cerca de 1200 soldados no Haiti. As tropas também são formadas por soldados do Uruguai, Argentina, Chile e Guatemala. Todos estes países possuem governos considerados de “esquerda” e “progressistas”, mas, na realidade, fazem o trabalho sujo do imperialismo ianque.

A ocupação consiste em sustentar um plano colonial para o país, implementado pelo imperialismo e por Préval. Recentemente, o governo haitiano assinou um acordo de livre comércio conhecido como Hope, que regulará as exportações têxteis para os EUA. Para proporcionar mais lucros às multinacionais norte-americanas, o governo Préval se comprometeu a nunca intervir no preço de nenhuma mercadoria importada.
No próximo dia 28 de maio, o presidente Lula vai estar no Haiti. A data vai coincidir com o aniversário de quatro anos da ocupação. O objetivo de Lula é reforçar a mentira de que os soldados brasileiros estão lá para “defender a paz”.

Na verdade, a Minustah está a serviço do imperialismo. E a única “paz” que o povo haitiano conhece é a paz dos cemitérios. São inúmeras as denúncias de atrocidades cometidas pelos soldados da ONU, como assassinatos indiscriminados, abuso sexual e violações de mulheres e crianças em várias regiões do Haiti.

Os ativistas e as organizações de esquerda, do movimento sindical, estudantil e popular no Brasil devem repudiar a visita de Lula e aproveitar a data para organizar protestos contra a ocupação. É hora de preparar atos e manifestações em consulados, embaixadas e praças públicas. É hora de denunciar os crimes cometidos pelos soldados brasileiros no Haiti e responsabilizar o governo Lula por cada um dos mortos. Como diz um boletim do Batay Ouvriye “O povo haitiano já sabe qual o papel das tropas. Então não resta outra solução: devemos expulsá-las já daqui!”.

Post author
Publication Date