Financial Times exige reformas previdenciária e trabalhista

O jornal Financial Times, um dos maiores porta-vozes da burguesia internacional, publicou, na edição desta quarta, 7 de fevereiro, um artigo em que classifica as reformas de Lula como “tímidas” e coloca como determinantes as reformas previdenciáriaO editorial “As reformas tímidas de Lula”, que tem como subtítulo “Chegou a hora do Brasil mudar as leis trabalhistas e de aposentadoria”, revela a verdadeira orientação da política imperialista para o país. Na opinião dos editores, o Brasil só poderá crescer se mexer no que chamam de “problemas estruturais”, qualificando a Previdência de ‘injusta” e as leis trabalhistas de “antiquadas”.

O Financial Times critica a idade mínima para aposentadoria. Sem levar em conta as condições de vida dos trabalhadores brasileiros, trata como absurdo que alguns se aposentem com pouco mais de 50 anos. Na verdade, esses são uma minoria. Sobre as leis trabalhistas, conquistadas com greves e muita luta desde a primeira metade do século passado, o jornal sugere que Lula se aproveite da popularidade para retirar direitos: “Com o alto nível de apoio popular e condições favoráveis nos mercados financeiros internacionais, este seria o momento ideal para iniciar uma, há muito atrasada, reforma das leis trabalhistas, algumas que datam dos anos 30”.

O jornal elogia as outras medidas do Programa de Aceleração do Crescimento, o PAC, como os investimentos em infra-estrutura – que vai desviar recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) dos trabalhadores – e a isenção fiscal. “Outros elementos do programa – como uma expansão do crédito e incentivos fiscais para investidores – também são um passo à frente”, diz o diário.

  • Veja o artigo no portal do Financial Times