Estudantes protestam em Vitória da Conquista

Neste dia 11/11 (dia nacional de paralisação nas universidades por um ensino público e gratuito), cerca de 600 estudantes universitários e secundaristas saíram pelas ruas de Vitória da Conquista para denunciar a proposta de Reforma Universitária que o governo Lula tentará aprovar.

Durante três horas, os estudantes com as caras pintadas, gritavam palavras de ordem, “Não pago, não pago… educação não é supermercado”, “É ou não é piada de salão, tem dinheiro pra banqueiro, mas não tem pra educação”. Elas expressavam o cunho privatista da Reforma Universitária do governo, como a Lei de Inovação Tecnológica, o SINAES-ENADE, as PPP’s (Parcerias-Público-Privado), o ProUni – que canaliza recursos públicos para a iniciativa privada via isenções fiscais, dentre outros.

Além dos protestos contra a reforma universitária, os estudantes denunciaram o desmantelamento pela qual a Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb) vem sofrendo e reforçaram a luta pela assistência estudantil. Vale lembrar que vários estudantes continuam resistindo, num prédio público no interior da instituição, há mais de 50 dias e exigindo a imediata implantação da Residência Estudantil, além da conclusão imediata das obras do Restaurante Universitário.

Em meio a toda essa movimentação, mais uma vez, o DCE da Uesb, dirigido pela UJS/PCdoB, boicotou a manifestação alegando que o governo tem dialogado com a comunidade acadêmica. Vários estudantes secundaristas também estiveram no ato público em solidariedade à luta por assistência, contra a reforma e denunciando a atitude autoritária da Administração Central da Uesb que prorrogou pela terceira vez às inscrições do vestibular, assim como a data das provas.

TODOS À LUTA!

DIA 25 – GRANDE MARCHA A BRASÍLIA PARA BARRAR ESSA REFORMA UNIVERSITÁRIA!