Estudantes da Uesb ocupam Reitoria por 10 horas

Os estudantes da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb), em Vitória da Conquista, deram uma bela resposta ao imobilismo da direção do DCE (UJS/PCdoB). Na última terça-feira (14), cerca de 600 estudantes se reuniram em Assembléia Geral, convocada por sete CA/DAs da instituição para discutir Assistência Estudantil. Passando por cima do DCE, os diretórios acadêmicos fizeram uma grande divulgação e a base atendeu ao chamado.

Instalada a assembléia, logo nas primeiras falas era possível perceber a insatisfação com relação ao descaso dado pela Reitoria e pelo Governo do Estado aos estudantes e a educação, assim como a ausência e omissão do DCE dirigido pelo PCdoB. No meio da assembléia, um companheiro propôs a derrubada da placa da vergonha que dizia “Estamos concluindo o Restaurante Universitário“ que, na verdade, está atrasado há mais de 400 dias. Numa demonstração de total indignação, os estudantes derrubaram e conduziram a placa pelo campus até a Reitoria, gritando palavras de ordem do tipo: “Não é mole não, um ano de atraso é muita enrrolação“.

Os discentes, bastante revoltados, seguiram até o módulo de Medicina (curso recém-criado na Instituição) e convidaram os companheiros para a luta. Picharam e colocaram a placa da mentira na porta da sala do Reitor. Após uma série de falas inflamadas, a Assembléia decidiu pela ocupação imediata da Reitoria e pela conclusão das obras do RU em um mês.

Na parte da tarde, o professor Reginaldo Silva (Uesb), deu uma aula pública sobre os efeitos da Reforma Universitária do Governo Lula. Após a palestra, os estudantes continuaram na Reitoria, que estava recebendo a visita do Tribunal de Contas do Estado, com apitos, panelas e cartazes, a denunciar o descaso, com dizeres do tipo: “Sou estudante, tenho direito a Residência e Restaurante“. No final da tarde, o Reitor Abel Rebouças veio tentar conter os ânimos inflamados. Após duas horas de conversa, o movimento rechaçou as falácias da Administração e manteve a postura de se em um mês as obras do RU não estiverem concluídas os estudantes ocuparam a Reitoria novamente, só que agora por tempo indeterminado.

A chama da luta estudantil reascende na Uesb num momento em que o DCE da UJS vai tentar minar o movimento para tentar aprovar a Reforma Universitária do Governo Lula. A mobilização continua e no próximo domingo os estudantes da Uesb se reunirão para discutir Residência Universitária, a qual, segundo a avaliação do movimento, não será concedida pelo Governo do Estado ou pelo Reitor. Será uma conquista, por meio de muita luta estudantil.