Encontrado Santiago Maldonado. Punição imediata aos responsáveis!

No começo da noite dessa sexta-feira (20) confirmou-se o que todos já suspeitavam: Santiago Maldonado está morto. A confirmação foi feita pelo irmão da vítima e anunciada pela imprensa argentina. Nesse exato momento, uma manifestação acontece da Praça de Maio – em frente ao palácio do governo – para exigir justiça e punição aos responsáveis e cúmplices pelo assassinato.

Santiago Maldonado, de 28 anos, desapareceu no dia 1º de agosto quando participava de um ato em defesa dos direitos do povo mapuche, um povo indígena da região da Argentina e Chile. A manifestação aconteceu em Esquel, na Patagônia, e foi brutalmente reprimida pela Gendarmería Nacional Argentina (GNA, a polícia argentina). O ativista desapareceu quando tentava escapar da repressão.

A suspeita óbvia era de que se tratava de um crime de Estado, um homicídio protagonizado encoberto pela própria GNA. Desde então, toda a Argentina e ativistas de todo o continente sul americano se perguntavam: “Onde está Santiago Maldonado?”, que se converteu em um símbolo internacional de campanha contra a criminalização dos ativistas e dos movimentos sociais.

Durante apresentação das representações internacionais no Congresso da CSP-Conlutas, os mais de 2 mil participantes exigem a aparição do ativista argentino Santiago Maldonado

Na última terça-feira (17) um corpo encontrado no rio Chubut, em condições no mínimo suspeitas, abriu a possibilidade de se tratar de Santiago. O corpo foi encontrado rio acima do local do desaparecimento, o que indica a tentativa de ocultação do crime. Houveram manifestações em todo o país.

No começo dessa noite um irmão da vítima confirmou quem o corpo encontrado é de Santiago Maldonado e, cada vez mais, é impossível negar que se trata de um crime político. Maldonado foi assassinado pela polícia argentina a mando do governo de Macri. Os argentinos pedem a renúncia imediata de Patrícia Bullrich, Ministra da Segurança.

E se o governo Macri é responsável pelo assassinato de Maldonado, papel vergonhoso tem cumprido também a oposição kichneristas. Às vésperas das eleições para o legislativo (no domingo), tentam converter a indignação do povo argentinos em votos na oposição, mostrando que não passam de oportunistas inescrupulosos.

Toda solidariedade à família Maldonado!
Punição imediata aos responsáveis e cúmplices!
Fora Bullrich!