Em Recife, estudantes e trabalhadores saem às ruas contra aumento da passagem de ônibus

No Ministério Público, manifestantes reivindicam auditoria nas contas das empresas de transporte

Manifestantes exigem auditoria nas contas das empresas do Grande Recife Consórcio de TransporteA semana começou com protesto no centro de Recife. Estudantes e trabalhadores organizaram uma manifestação contra o aumento das tarifas de ônibus nesta segunda-feira (7). O reajuste de 5,53% foi divulgado após a reunião do Conselho Superior de Transporte Metropolitano realizado na ultima sexta-feira (4). A reunião aconteceu de portas fechadas e não foi permitida a participação dos estudantes nem da imprensa. Com o aumento, o valor da tarifa do Anel A subiu para R$ 2,25 e o B para R$ 3,45.

Inconformados com o reajuste, estudantes e trabalhadores se organizam no Comitê Contra o Aumento das Passagens. Em passeata, os ativistas do Comitê saíram da Rua do Hospício por volta as 11h30, seguiram pela Avenida Conde da Boa Vista, passaram pela Guararapes até a sede do Ministério Público de Pernambuco (MPPE). Chegando lá os manifestantes reivindicaram uma audiência e conseguiram marcar para as 14h30.
Enquanto esperavam o horário da audiência com o MPPE, os manifestantes seguiram até a frente da Grande Recife Consórcio de Transporte, no Cais de Santa Rita, onde realizaram um ato político.

De volta ao MPPE, os ativistas entregaram um documento com a pauta de reivindicação do movimento com o objetivo de cobrar da instituição um posicionamento sobre a situação dos transportes públicos na Região Metropolitana de Recife (RMR).
Cinco membros do Comitê foram recebidos pelo MPPE, entre eles Raphaela Carvalho representando o PSTU. Na instituição, os representantes entregaram um documento à procuradora Laís Teixeira que se comprometeu em analisar as reivindicações dos manifestantes, principalmente sobre a auditoria das contas das empresas de transporte.

“Conseguimos o apoio de uma instituição importante e, principalmente, conseguimos dialogar com parcela da população que mostrou apoio à luta da juventude e trabalhadores”, avalia Raphaela. “A unidade entre trabalhadores e estudantes é muito importante, pois esse aumento irá prejudicar todos nós“, afirma a socialista do PSTU.

As próximas ações serão discutidas no dia 8 de janeiro, na reunião do Comitê, na sede do DCE da UNICAP, às 19h.Participam do Comitê estudantes independentes e várias organizações, como a ANEL (Assembleia Nacional dos Estudantes – Livre), a União dos Estudantes Secundaristas de Pernambuco (UESPE), além de DCE’s (Diretório Central dos estudantes) e DA’s (Diretórios Acadêmicos). O SIMPERE (Sindicato dos/as professores de Recife) também engrossa o movimento. A juventude do PSTU vem acompanhando as atividades e apoiando o Comitê.

Veja a pauta de reivindicação entregue no MPPE:

  • Auditoria das contas das empresas de ônibus e do Grande Recife Consórcio de Transporte, para saber em que são utilizadas as verbas;
  • Modificação do anel tarifário de Paulista, município da Região Metropolitana do Recife. Os manifestantes querem a redução do Anel B, que custa R$ 3,45, para o A, de R$ 2,25;
  • Auditoria das permissões precárias existentes em relação às concessões públicas de transporte, verificar os subsídios e as isenções de impostos dadas pelos poderes Executivos municipais e estaduais às empresas de transporte;
  • Criação, pelo MPPE, de critérios mínimos de qualidade no atendimento ao usuário de transporte coletivo no Grande Recife.

    LEIA MAIS
    Nota do PSTU contra o aumento das passagens