Em Manaus, entidades discutem formação de fórum de lutas contra as reformas

Sob o signo do encontro do dia 25 de março, que reuniu 6 mil trabalhadores de todo o país para se contrapor as reformas do governo Lula, algumas entidades sindicais e movimentos sociais reuniram-se em Manaus, nesse 1º de Maio, para discutir a unificação de suas lutas e começar a construir, com base nos eixos do movimento nacional, um Fórum de Lutas Contra as Reformas.

A reunião ocorreu na sede do Sindicato dos Fazendários (Sifam), na parte da manhã. Além deste sindicato, estiveram presentes diretores do Sindicato da Previdência (Sindisprev), entidade que se desfiliou recentemente da CUT, estudantes universitários da Conlute/Am, a oposição de professores das redes municipal e estadual que reivindica a Conlutas, e o PSTU.

Inicialmente foi feito um resgate do significado do dia 1º de maio e da necessidade de se construir uma alternativa de direção que coordene a lutas que vêem ocorrendo no Estado. E, apesar do ritmo desigual em relação aos outros Estados, avaliou-se que é possível ampliar o movimento incorporando outras entidades que já romperam com a CUT, como é o caso da Associação dos Docentes da Universidade – Adua, e aquelas que não estão na esfera de influência dessa entidade.

No final, foi deliberado pela elaboração de uma carta-convite, fazendo um chamado para uma nova reunião no dia 14/05, no auditório do Sifam, para discutir a preparação do dia 23/05 e a formação do Fórum Estadual de Lutas Contra as Reformas.

Todos saíram da reunião muito entusiasmados e acreditando que é possível construir uma nova alternativa para as lutas, como vem ocorrendo na maioria dos estados.

LEIA TAMBÉM

  • Manaus: Diretoria do Sinteam manda agredir professores