Em defesa da independência de classe, uma polêmica fraternal com a direção majoritária do PSOL

Dos 25 vereadores eleitos pelo PSOL, 15 foram em coligações com partidos burgueses; o PSOL participou de coligações que elegeram três prefeitos dos partidos burgueses PMDB, PR e PMNNo período que antecedeu a inscrição das candidaturas para as eleições municipais deste ano, o PSTU fez uma polêmica fraternal com a maioria da direção do PSOL sobre a importância do princípio da independência de classe para a construção da Frente de Esquerda na maioria das cidades brasileiras.

Infelizmente, a direção nacional do PSOL aprovou a coligação com o PV em Porto Alegre (RS), cedendo a vice da chapa para o presidente local desse partido. Houve também a coligação com o PSB e o PMN em Macapá (AP), apoiando o candidato governista Camilo Capiberibe (PSB), que agora disputa o segundo turno. Da mesma forma, a maioria da direção do PSOL autorizou a coligação com partidos burgueses e/ou governistas em mais de 20 cidades, principalmente no interior dos estados.

Alertávamos a direção do PSOL que esta atitude, além de dividir a Frente de Esquerda em várias cidades, descaracterizaria o projeto de oposição de esquerda representado por nossa frente eleitoral nas eleições presidenciais passadas, com a candidatura de Heloisa Helena.

Consideramos de grande importância para as nossas lutas a eleição de vereadores como Heloisa Helena, João Alfredo, Eliomar Coelho, entre outros. Porém, infelizmente, o resultado eleitoral confirmou as nossas piores previsões: dos 25 vereadores eleitos pelo PSOL, nada mais anda menos que 15 deles foram conquistados em alianças com partidos burgueses. Este fato não pode ser comemorado como uma vitória.

Na lista de coligações, entram partidos burgueses tradicionais como PPS, PSDB, DEM e PMDB, além dos da base aliada de Lula, como o próprio PT, PDT e o PSB. Também aparecem conhecidas legendas de aluguel como o PSL e o PTdoB. No fim da matéria, veja a lista dos vereadores eleitos e as respectivas coligações absurdas.

O que é ainda pior, além de estar na coligação, indicando o Vice na chapa, que pode levar o governista Camilo Capiberibe (PSB) a prefeitura de Macapá, o PSOL participou de coligações que elegeram três prefeitos de partidos burgueses. Isso aconteceu em Pracauúba (AP), elegendo um Prefeito do PMDB; Santa Cruz do Monte Castelo (PR) do PR; e Casa Branca (SP), do PMN.

Nosso partido mantém firme o princípio da independência de classe, resgatando a tese de que, nas eleições, não podemos nos aliar aos representantes políticos da burguesia, mesmo sendo estes conjunturalmente minoritários no aparelho de Estado. Defendemos alianças somente com os partidos realmente identificados com a classe trabalhadora e que não estão aliados ao governo Lula, como na construção da Frente de Esquerda em 2006. As alianças com os partidos burgueses foram um dos elementos principais que levaram ao PT à degeneração completa do ponto de vista da classe trabalhadora.

O PSTU atuou de forma distinta. Nestas eleições, cassamos os diretórios municipais de Porto Velho (RO) e Rio das Ostras (RJ) por realizarem coligações que fogem aos princípios do nosso partido. Expulsamos todos os envolvidos, entramos na justiça eleitoral contra estas coligações indevidas e pedimos também a cassação dos referidos candidatos.

Fazemos um chamado à direção majoritária do PSOL a rever imediatamente a sua política de alianças aplicada nas eleições municipais deste ano. O PSTU não aceitará manter uma frente eleitoral para as próximas eleições que incluam partidos burgueses nem da base governista, como aconteceu agora em Porto Alegre e Macapá.

Neste momento, em que observamos a abertura de uma nova crise econômica capitalista, com reflexos evidentes no Brasil, mudar esta política equivocada será de fundamental importância para garantirmos a unidade da Frente de Esquerda, principalmente nas lutas da classe trabalhadora e da juventude e, também, nas eleições de 2010.

Defendemos a apresentação de uma candidatura à Presidência da República com um perfil de oposição de esquerda ao governo Lula e também à oposição burguesa, com um programa classista e de defesa do socialismo, sem alianças com partidos burgueses e financiamento de campanha pelas grandes empresas.

VEJA A LISTA DE VEREADORES ELEITOS PELO PSOL, EM COLIGAÇÕES COM PARTIDOS BURGUESES:

  • Haroldo – Porto do Acre (AC)
    Coligação com PRB e PPS

  • Clécio – Macapá (AP)
    Coligação com o PSB e PMN

  • Helena – Itaúbal (AP)
    Coligação com o PSB e PMN

  • Valdeci – Pracauúba (AP)
    Coligação com o PSL, PR, DEM e PT

  • Denis – Atalaia do Norte (AM)
    Coligação com o PPS, PSB e PTdoB

  • Silvana – Porto Esperidião (MT)
    Coligação com o PSDB, PDT e PHS

  • Laércio – Mirassol d´Oeste (MT)
    Coligação com o PSDB

  • Lavareda – Mirassol d´Oeste (MT)
    Coligação com o PSDB

  • Olavo – Garrafão do Norte (PA)
    Coligação com o PTdoB

  • Rafael – Santa Cruz do Monte Castelo (PR)
    Coligação com PSL, PSDB, PRTB e DEM

  • Fernanda – Casa Branca (SP)
    Coligação com o PMN

  • Professor Luciano – Várzea Paulista (SP)
    Coligação com o PSL

  • Romer – Viamão (RS)
    Coligação com o PV

  • Pedro Ruas – Porto Alegre (RS)
    Coligação na majoritária com o PV

  • Fernanda Melchiona – Porto Alegre (RS)
    Coligação na majoritária com o PV