Educação do Rio escolhe nova direção e decide se segue na CUT

Entre os dias 19 e 23 de junho acontecerão às eleições para a diretoria do Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação – SEPE/RJ, incluindo também as eleições das diretorias dos núcleos do interior e grande rio e das regionais da capital.

O SEPE é um dos maiores sindicatos do Rio de Janeiro, representando o conjunto dos profissionais de educação das redes públicas de ensino, totalizando cerca de 250 mil trabalhadores em sua base de representação.

Estas eleições serão marcadas pelo debate sobre a relação do Sindicato com a CUT. Conjuntamente com as eleições para a diretoria será realizado um plebiscito em toda a categoria, perguntando se os profissionais de educação querem manter a filiação do SEPE à CUT.

Foram inscritas para a disputa da diretoria do SEPE/RJ quatro chapas, sendo duas que defendem a manutenção da filiação e outras duas chapas que defendem a ruptura do SEPE com a CUT.

Na defesa da permanência na CUT estão as chapas 1 e 3. A chapa 1 é dirigida pelo bloco majoritário da CUT, formada pelas seguintes correntes: Articulação Sindical, PCdoB, DS, PSB e o grupo chamado “Educadores Socialistas”, que é formado por militantes do PT e do P-SOL. A Chapa 3 é formada principalmente por militantes do P-SOL, ligados a APS. No campo que defende a ruptura com a CUT, infelizmente houve uma divisão. A LR e o grupo que rompeu com a APS (ambos do P-SOL) vetou a possibilidade de uma chapa unificada com a participação do PSTU. No campo de ruptura com a CUT se inscreveram então duas chapas. A chapa 2, que é formada pelos seguintes grupos: LR, a ruptura da APS, PCB e a UST (ligada ao PDT). Os grupos que formam a chapa 2 foram contra, no último Congresso do SEPE, a ruptura imediata com a CUT e foram os principais proponentes da realização do plebiscito este ano. Somente em 2006 eles começaram a defender a ruptura com a CUT.

A CHAPA 4 – O SEPE é de Luta e da Educação, a CUT NÃO, é composta por militantes da Alternativa de Classe (grupo sindical que inclui os militantes do PSTU, do Reage Socialista e independentes), por militantes do P-SOL (ligados principalmente ao MTL e ao Núcleo de Opção Socialista de Duque de Caxias) e militantes independentes.

Esta chapa se formou a partir daquelas correntes e militantes que defendem desde o último Congresso da categoria, realizado no segundo semestre de 2005, a ruptura imediata do SEPE com a CUT.

Diferente da postura sectária e divisionista dos membros da atual chapa 2, a CHAPA 4 apresentou a proposta de unificar em uma mesma chapa todos aqueles lutadores que estão no plebiscito pela ruptura do SEPE com a CUT.

No programa da CHAPA 4 se destaca a defesa intransigente de que só com luta e mobilização é possível garantir as reivindicações da categoria. Os integrantes da CHAPA 4 estiveram a frente da última greve da rede estadual e das últimas greves em importantes redes municipais, como Duque de Caxias, Niterói, Nilópolis, entre outras.

O compromisso é se a ruptura com a CUT vencer o plebiscito, a CHAPA 4 vai propor abrir o debate com a categoria sobre que alternativa de reorganização sindical deve ser apoiada pelo SEPE. Uma parte dos integrantes da CHAPA 4 já participam da CONLUTAS, e estiveram representados no CONAT com cerca de 80 delegados.

A próxima diretoria será formada a partir do critério da proporcionalidade qualificada direta na base. A CHAPA 4 vai disputar, além da diretoria do SEPE Central, 19 núcleos do interior e grande rio e 7 regionais da capital. Chamamos todo o movimento sindical, popular e estudantil que se coloca contra o governismo representado pela CUT e se mantém fiel a luta dos trabalhadores a apoiar ativamente a CHAPA 4. Este chamado se dirige principalmente as entidades ligadas a educação, precisamos não só do apoio político a chapa, mas também o apoio financeiro para mais esta vitória. Você pode entrar em contato com a CHAPA 4 através do endereço eletrônico: [email protected]