Dia 23 de maio, Sergipe vai parar contra as reformas neoliberais do governo Lula

Na próxima quarta-feira, dia 23 de maio, diversos setores ligados ao movimento sindical, popular e estudantil irão às ruas protestar contra as medidas neoliberais adotadas pelo governo Lula. De norte a sul do país, os lutadores vão denunciar a política econômica baseada no arrocho fiscal, que prioriza o pagamento dos juros da dívida pública aos banqueiros e especuladores em detrimento dos investimentos sociais, bem como as reformas de cunho neoliberal na Previdência social, na legislação trabalhista e na área sindical.

Sob o lema, “Nenhum direito a menos. Em defesa dos direitos sociais, sindicais e trabalhistas”, em Sergipe, os servidores do Ibama, em greve desde 14 de maio, juntamente com os da Funasa, do Incra, e demais órgãos federais que já estão com assembléias marcadas, – além de petroleiros e outras categorias – protestarão contra as retaliações que vêm sofrendo após a deflagração da greve contra a divisão do órgão e a tentativa do governo federal de restringir o direito de greve ao funcionalismo público. A luta contra a Emenda 3 e a Super-Receita do governo federal e do Congresso Nacional também estará na pauta.

No dia 16, às 18h, na sede da CUT de Sergipe, os setores que assinam a convocatória do ato, como a Coordenação Nacional de Lutas (Conlutas), discutirão o formato da atividade a ser realizada no Estado.

  • Contra a reforma da Previdência!
  • Contra toda reforma que retire direitos: não à emenda 3!
  • Por emprego, salário digno, reforma agrária e moradia.
  • Contra a política econômica e o pagamento das dívidas interna e externa.
  • Em defesa do direito de greve e contra a criminalização dos movimentos sociais.

    LEIA TAMBÉM: