CUT sai em defesa do governo e despreza corrupção

Para Marinho e Felício, denúncias não passariam de conspiração dos “setores apodrecidos” da políticaEnquanto a opinião pública assiste estarrecida às sucessivas denúncias de corrupção no governo Lula, a CUT parece viver em outra realidade. Demonstrando mais uma vez seu caráter abertamente governista, os dirigentes desta central se propõem a defender o indefensável.

Em nota oficial divulgada na segunda-feira 6, o presidente da CUT Luiz Marinho afirma ser necessário que o Ministério da Justiça, o Ministério Público e a Polícia Federal investiguem as denúncias e que os culpados sejam punidos exemplarmente. Não deve ser por acaso que a CPI não tenha sido citada.

O documento também defende a aprovação da reforma política, “para que os governos deixem de ser reféns de chantagens” – uma indireta para dizer que Lula seria a vítima da história.

O argumento de que o governo estaria sendo perseguido pela oposição (PSDB, PFL), sem justificativa, é recorrente. A nota diz que “a acusação envolve interesses de setores derrotados nas urnas”. O secretário-geral da CUT, João Felício, afirma em artigo publicado no site da central: “Mas é bom lembrar que os mesmos senhores que hoje estampam em manchetes as mais levianas especulações contra gente honrada, que já demonstrou o seu compromisso e amor ao Brasil, de tudo fizeram para tergiversar e acobertar as negociatas a peso de ouro, como a compra de votos para a reeleição ou a privatização do sistema Telebrás”.

Felício chega a dizer que a imprensa publicou as denúncias de Roberto Jefferson porque representa os interesses golpistas desses setores e desqualifica o deputado do PTB, resgatando seu notório passado de corrupto. Ora, Jefferson é aliado do governo e até outro dia Lula o defendia incondicionalmente.

De fato, partidos como o PSDB e o PFL já demonstraram inúmeras vezes que não têm credibilidade para acusar quem quer que seja. Mas também não se pode negar que PT e seus aliados têm feito um governo idêntico aos anteriores, inclusive no que se refere aos escândalos de corrupção.

A CUT, por estar atrelada materialmente ao governo Lula, nega este fato mais elementar. É por isso que não defenderá a punição dos culpados e não mobilizará os trabalhadores contra esse governo corrupto.

A Conlutas, coordenação que surgiu da falência da CUT, não acredita na inocência do governo e, por isso, promove e apóia todas as iniciativas que denunciem seu verdadeiro caráter. Em São José dos Campos, por exemplo, está organizando um ato simbólico de limpeza dos Correios, nesta quarta-feira, 8 de junho. Outras manifestações com esse eixo têm acontecido em todo o país, aproveitando a greve dos servidores federais e a contradição entre os gastos do governo com as mesadas aos deputados e a proposta de reajuste de 0,1%.

FONTE: Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região
(www.sindmetalsjc.org.br)