CUT e Sindmetal-PE fecham mais um acordo rebaixado

Sindicato teve como referência o acordo do ABCDepois de cinco rodadas de negociação e sem nenhuma mobilização na base ou assembleia nas fábricas, o Sindicato dos Metalúrgicos de Pernambuco, filiado à CUT, fechou uma proposta rebaixada de 6,5% para quem ganha até R$ 2.500,00, o que representa cerca de 90% da categoria em Pernambuco.

De acordo com presidente do sindicato, Alberto Alves dos Santos, o Betão, “este reajuste foi o possível e foi uma vitória para categoria, pois teve como referência o acordo fechado no ABC”. A proposta foi aprovada numa assembleia esvaziada na quarta-feira, 23, pois o sindicato não mobilizou a categoria.

Além desta proposta de 6,5%, a CUT fechou com os patrões um aumento de R$ 20 para ajudantes nas empresas de até 70 trabalhadores e R$ 10 para ajudantes das empresas acima de 70 trabalhadores. O piso do profissional ficou em R$ 721,28.

Betão, que recentemente fez parte da comitiva de Lula em visita às obras do Estaleiro Atlântico Sul em Suape, encheu de elogios o governo do PT. Para convencer os trabalhadores desta rebaixada proposta, chegou até falar que o aumento real nos salários seria de 46%.

Além de tentar enganar os trabalhadores durante todo tempo, o Sindmetal-PE não permitiu ao Sindicato dos Trabalhadores dos Correios (Sintect-PE), que está em greve, fazer uma saudação de apoio aos metalúrgicos e passar a experiência de sua greve aos operários.

Militantes da Conlutas distribuíram o boletim Acorda Peão, denunciando este acordo de 6,5% e a CUT.