Curitiba: Ato de solidariedade ao Povo do Pinheirinho


Diversos movimentos sociais, sindicatos e partidos políticos realizaram no fim da tarde de hoje em Curitiba, ato em solidariedade ao povo do Pinheirinho de São José dos Campos – SP e de repúdio ao covarde massacre ordenado pelo governador Geraldo Alkimin “O Pinheirinho é pra lutar, a resistência nós vamos apoiar!” Essa foi à palavra de ordem que marcou o ato realizado na boca maldita, que reuniu diversos manifestantes mesmo sob forte chuva.

Nas falas os oradores se comprometeram em dar continuidade ao movimento de solidariedade aos homens, mulheres e crianças que foram brutalmente reprimidos pela polícia de Geraldo Alkimin. A denúncia de maus tratos, violência, truculência, ilegalidade e covardia que afetou de maneira desumana, mães de família, crianças e deficientes foi ressaltada junto a população de Curitiba.

O dirigente do PSTU, Avanílson Araújo disse que “O governo do estado de São Paulo do PSDB sujou as mãos de sangue covardemente e isso merece nosso repúdio, mas nós também devemos exigir que o governo federal intervenha para barrar a desocupação imediatamente, uma vez que Alkimin descumpriu decisão do TRF”. A dirigente do PSTU,

Mariane de Siqueira explicou que “o PSTU é solidário a luta do povo do Pinheirinho e fará todos os esforços para cercar de apoio homens, mulheres e crianças que estão sendo criminalizados porque lutam para ter o direito a um teto para criar suas famílias. Exigimos de Dilma a legalização da área e a punição de Alkimin e Cury imediatamente, caso contrário o governo federal será cumplice desse banho de sangue que envergonha o país”, finalizou.

Diversos movimentos sociais, sindicatos e partidos políticos realizaram no fim da tarde de hoje em Curitiba, ato em solidariedade ao povo do Pinheirinho de São José dos Campos – SP e de repúdio ao covarde massacre ordenado pelo governador Geraldo Alkimin e o prefeito Alexandre Cury, ambos do PSDB.

No final do ato, Márcio Palmares, dirigente do Sinditest-PR propôs “a continuidade do movimento de apoio” e alertou “para a crescente criminalização dos movimentos sociais que tem ocorrido com o governo Dilma, isso ficou claro na luta dos bombeiros no Rio de Janeiro e com a prisão dos ativistas que protestaram contra OBAMA no ano passado”.

Em Curitiba a luta vai continuar, os próximos passos serão decididos na reunião de amanhã. O objetivo é ampliar essa luta de modo a organizar amplo apoio à causa do Pinheirinho em São José dos Campos.