Cresce a mobilização dos servidores do Judiciário paulista

Assembléia vota pela continuidade da greveNo último dia 25, os servidores se reuniram em assembléia na capital paulista. Nesse mesmo dia, foi cassada a liminar que determinava o fim da greve. Em clima de vitória, a assembléia votou pela continuidade da greve, com uma nova assembléia estadual marcada para o dia 8 de setembro. Foi deliberado o apoio à CPI do Judiciário para que se abra a caixa preta dos Tribunais. Para isso, será necessária a pressão dos trabalhadores, senão a CPI pode terminar em pizza, ou em medidas contra os servidores e a manutenção dos privilégios dos magistrados.

Em seguida, os grevistas se dirigiram em passeata até a sede da OAB paulista para “notificar” a entidade que sua liminar pelo fim da greve foi cassada. Já o presidente do Tribunal de Justiça está determinado a derrotar a greve. Ele Publicou no Diário Oficial o desconto dos dias parados, sem possibilidade de compensação. Determinou ainda a contratação de três mil estagiários para substituir os grevistas.

Lideranças dos servidores da Grande São Paulo realizaram uma plenária para debater as reformas Sindical e Trabalhista. Formou-se um comitê pró-sindicato de luta, aberto a todos os ativistas. Uma nova organização sindical combativa e democrática está nascendo pela base da categoria.

O PSTU no seu horário eleitoral, no último dia 24, veiculou uma mensagem de apoio à greve. As eleições não mudam nada, mas é necessário utilizar o espaço das eleições para defender as lutas dos trabalhadores.

Post author Fábio Bosco, de São Paulo (SP)
Publication Date