No Rio Grande do Norte, a governadora Fátima Bezerra (PT) e o prefeito de Natal, Álvaro Dias (PSDB), tomam medidas insuficientes no combate ao coronavírus e ainda promovem ataques aos direitos dos trabalhadores da saúde que fariam Bolsonaro sentir inveja. Para se ter uma ideia do absurdo, a governadora que se diz de origem popular e democrática recorreu da decisão liminar, fruto de uma ação do Sindsaúde/RN, que permitiu aos servidores do grupo de risco serem afastados da assistência. Isso é um crime!

O que o governo do PT está fazendo é o mesmo que empurrar os servidores mais vulneráveis para o risco de contaminação e para a morte. O próprio governo do estado informou que os profissionais da saúde já são 37% dos infectados no Rio Grande do Norte e a Secretaria de Saúde projetou que o coronavírus pode matar 300 pessoas no mês de abril. E o pior: a tendência é aumentar, devido ao descaso da governadora e do prefeito. Descaso esse que também se reflete na permissão que o governo deu para reabrir a maioria das lojas do Alecrim, ainda que em horário reduzido. Tal medida só vai fazer aumentar a circulação do vírus, simplesmente para atender aos interesses da Associação dos Empresários do Bairro do Alecrim (AEBA).

Além disso, nem Fátima nem Álvaro Dias estão garantindo os equipamentos de proteção individual (EPS’s) suficientes e adequados às necessidades dos servidores da saúde. Faltam luvas, máscaras, aventais e os trabalhadores estão tendo que improvisar para tentar se proteger. Como se isso fosse pouco, o secretário estadual de saúde, Cipriano Maia, enviou um memorando informando que os plantões eventuais não serão pagos no mês trabalhado. Ou seja, mais um ataque à remuneração dos profissionais, que há 10 anos não recebem reajuste, amargam dois salários atrasados e muitos não recebem sequer adicional de insalubridade. Fátima Bezerra fala como se fosse de esquerda, Álvaro Dias tenta parecer um gestor competente, mas suas ações estão muito mais próximas das medidas criminosas de Bolsonaro do que qualquer outra coisa.

É preciso investir em saúde, garantir proteção aos trabalhadores e manter seus direitos!

Essa situação não pode continuar assim. É preciso investir em saúde pública, garantir proteção aos trabalhadores e manter seus direitos e salários integrais. O governo do Estado precisa cobrar a dívida de R$ 8 bilhões que grandes empresas têm com o RN. A governadora Fátima deve suspender imediatamente o pagamento da Arena das Dunas e utilizar o dinheiro para montar um hospital comunitário nas instalações do estádio. É preciso usar as sobras dos duodécimos dos poderes legislativo e judiciário para combater a pandemia e suspender as isenções fiscais para as grandes empresas instaladas no RN, a começar pela Guararapes. Os grandes empresários precisam pagar impostos e esses recursos devem ser investidos em saúde pública.

Nesse sentido, Fátima Bezerra e Álvaro Dias também devem anistiar os pagamentos de água, luz, IPTU e demais taxas à população desempregada e de baixa renda pelo período em que perdurar a pandemia. É preciso dar condições de sobrevivência para que o isolamento social possa ser mais severo. Diminuir o isolamento social em nome da economia é uma política desastrosa. Os governos devem se empenhar em salvar vidas, e não em salvar os lucros das grandes empresas e bancos. Por isso, defendemos Fora Bolsonaro e Mourão! Contra os ataques de Fátima e Álvaro Dias aos servidores da saúde, por condições de trabalho e EPI’s para todos já! Vamos parar o Brasil e o RN para deter o coronavírus!