Pré-candidata à prefeitura, Dayse Oliveira

São Gonçalo é o segundo município mais populoso do estado do Rio de Janeiro, atrás apenas da capital. Uma cidade de população negra e periférica encravada na região metropolitana. Entra governo, sai governo, a vida dos gonçalenses só piora. Faltam empregos, o percentual da população ocupada, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), é de apenas 11,3% (o que coloca o município na posição 87 entre os 92 municípios do estado). O salário médio mensal é de 2,1 salários mínimos e 34,5% dos gonçalenses sobrevivem com uma renda per capta menor que meio salário mínimo.

Não se trata somente de uma questão de emprego e renda. 19,6% dos domicílios da cidade não possui esgotamento sanitário adequado e apenas 28,7% das vias públicas são urbanizadas (ou seja, possuem bueiro, calçada, pavimentação e meio-fio).

A educação pública passa por um forte processo de precarização. Os profissionais de educação da rede municipal de ensino recebem salários abaixo do piso nacional do magistério e as escolas passam por problemas sérios de estrutura.

O acesso à saúde também é limitado. A rede de atendimento básico é insuficiente e praticamente não existe atendimento público de alta complexidade.

O município sofre com a pandemia do novo coronavírus. Sem tomar praticamente nenhuma medida que garantisse o isolamento social, a cidade virou símbolo de aglomeração na pandemia e já soma mais de 700 mortos. Inaugurou-se um hospital de campanha com apenas 20% dos leitos e o episódio evidenciou um grande escândalo de corrupção que provocou a queda do então secretário de educação do estado.

As ações policiais nas favelas e comunidades são cada vez mais sanguinárias, ceifando vidas pretas em nome de uma suposta guerra às drogas, como a do menino João Pedro, que tragicamente se tornou um símbolo da violência racista do Estado e motivou manifestações na cidade.

Nesse cenário, o PSTU vem apresentar suas pré-candidaturas, comprometidas com as lutas da classe trabalhadora por dignidade e condições de vida. Entendemos que cada uma das necessidades mais imediatas da classe, seja por emprego, renda, saneamento, saúde, educação ou lazer, está intimamente relacionada à estrutura capitalista da sociedade. Por isso, apresentamos candidaturas comprometidas com a defesa de um programa socialista. Para resolver os problemas da nossa classe, nós não podemos confiar em candidatos que alimentam esse sistema. Para virar esse jogo, é preciso confiar na auto-organização da classe trabalhadora. A classe que produz toda a riqueza da sociedade é que deve governar, através de conselhos populares. Defendemos uma sociedade socialista.

Também queremos usar o espaço dessa campanha eleitoral para impulsionar a campanha nacional pelo “Fora Bolsonaro e Mourão”, pois entendemos que o governo federal, com sua política negacionista, de minimizar a pandemia e defender unicamente o lucro dos mais ricos, é o maior responsável pelas mais de 100 mil mortes no país. O governador Wilson Witzel (PSC) e o prefeito José Nanci (Cidadania) também não merecem nossa confiança, pois são cúmplices da política genocida de Jair Bolsonaro. Não garantem medidas de isolamento social, legitimam ações violentas nas favelas e periferias, fecham hospitais de campanha inaugurados em meio a escândalos de corrupção e má gestão. Agora, eles ameaçam retomar as aulas presenciais em meio à pandemia.

Estes são os pré-candidatos do nosso partido para estas eleições

Dayse Oliveira, pré-candidata a prefeita de São Gonçalo, é moradora da cidade desde 1998, historiadora e professora da rede estadual de educação, militante do movimento Quilombo Raça e Classe e do Coletivo Reviravolta da Educação.

Roberto Baeta, pré-candidato a vice-prefeito de São Gonçalo, é morador da cidade desde 1976, também historiador e professor na rede estadual de educação, militante do movimento Quilombo Raça e Classe e do Coletivo Reviravolta da Educação.

Raoni Lucena, pré-candidato a vereador, é servidor da UFF e coordenador SINTUFF (Sindicato dos Trabalhadores em Educação da UFF), membro fundador da WEB Rádio Censura Livre (WebRádio comunitária de São Gonçalo). Participou do Comitê Contra a Reforma da Previdência de São Gonçalo e participa da União dos Fóruns de Luta de Niterói e São Gonçalo e do recém-criado Comitê Fora Bolsonaro e Mourão.

Dia 27 de agosto, às 18h, ocorrerá o lançamento das pré-candidaturas, junto com as de Niterói. A atividade vai ser transmitida pelas páginas: Dayse Oliveira (Facebook), Danielle Bornia (Facebook) e TV PSTU Niterói e São Gonçalo (YouTube).