Conlutas prepara plano de ação

Propostas serão discutidas com os demais setores que constroem o Encontro Contra as ReformasA reunião nacional da Conlutas discutiu e aprovou uma proposta de plano de ação para o próximo período. No entanto, longe de ser uma resolução acabada, tal proposta será ainda discutida com os demais setores que estão construindo o Encontro Nacional Contra as Reformas do dia 25, como a Intersindical e as Pastorais, e remetida à base das entidades e movimentos sociais. Após esse período de discussão, todas as propostas serão reunidas em um “Plano de Ação Unitário” e divulgadas no dia do encontro.

Barrar a reforma da Previdência
Uma das principais propostas anunciadas na reunião é a formação do “Contra-fórum”, em contraposição ao chamado Fórum Nacional da Previdência Social, instância instalada no último dia 12 pelo governo. O “Contra-fórum” reuniria personalidades e especialistas que debateriam e apresentariam o ponto de vista dos trabalhadores sobre a Previdência pública.

A iniciativa disputaria a consciência da opinião pública sobre a reforma da Previdência, combatendo as mentiras e falácias propagadas pelo governo e a grande mídia. Desta forma, o Fórum alternativo apoiaria os seminários e debates sobre o tema promovidos pelas entidades e movimentos nos estados.

Eixo das lutas: contra as reformas
A Conlutas discutiu, também, a necessidade do próximo período ter como principal eixo de luta a batalha contra as reformas. No entanto, essa bandeira não anularia, mas seria acompanhada pelas demais reivindicações do movimento, como a anulação da privatização da Vale do Rio Doce, a luta contra o avanço da privatização da Petrobrás, o pagamento da dívida pública, tal como a luta por reforma agrária, moradia, emprego, aumento do salário mínimo e aposentadorias, etc.

Calendário de luta
A reunião da Conlutas também discutiu a necessidade de um calendário de lutas, levando em consideração o calendário de mobilizações já existentes e a unificação de reivindicações gerais, como a luta contra as reformas, com as exigências específicas de cada categoria.

Proposta de calendário
8/3 – Dia Internacional da Mulher, com manifestações em todo o país contra as reformas e a violência contra as mulheres. Tal ato se daria combinado com a luta antiimperialista, aproveitando a presença de Bush no Brasil.

15/3 – Lançamento da Campanha Salarial dos Servidores Federais, com manifestações em Brasília.

21/3 – Dia internacional de luta contra a discriminação racial.

25/3 – Encontro Nacional contra as Reformas, em São Paulo.

28/3 – Ato nacional dos aposentados, promovido pela Cobap, em São Paulo
Semana do dia 17/4 – Luta contra a violência no campo e pela reforma agrária.

26/4 – Paralisação nacional dos professores da rede estadual.

1/5 – Dia internacional de luta da classe trabalhadora – realizar grandes manifestações de caráter classista e contra as reformas

Semana da pátria – Plebiscito nacional pela anulação do Leilão de privatização da Vale do Rio Doce.
Post author da redação
Publication Date