Conlutas faz ato na Bovespa nesta sexta

Manifestação ocorre a partir das 13hEm meio à crise financeira que se instalou na economia mundial, banqueiros e governos dos países centrais da economia capitalista fazem conchavos para frear a quebradeira das instituições bancárias. Bilhões de dólares são injetados na economia para que os capitalistas possam assegurar seus lucros.

Quem paga esta conta? Enquanto os banqueiros estavam lucrando protegidos pelo Estado suas fortunas individuais triplicavam, quando a crise se tornou real e a bancarrota se instalou, os trabalhadores estão sendo obrigados a ver os recursos orçamentários serem desviados para salvar os banqueiros. Quer dizer, a apropriação do lucro está loteada entre meia dúzia de magnatas, enquanto que os prejuízos são socializados por todos (as) trabalhadores(as).

O termômetro mais sensível para os especuladores financeiros são as bolsas de valores. No Brasil, a crise provocou a paralisação das transações no mercado de ações pelo menos duas vezes na semana passada. Esta medida é tomada para tentar segurar os prejuízos. Há muito tempo, os anúncios dessa crise já são sentidos nas condições de vida da classe trabalhadora. Entre eles, o aumento de preços dos alimentos da cesta básica e a inflação.

Por usa vez, o governo Lula deu uma demonstração categórica de que a sua preocupação é com os banqueiros e com os especuladores e não com os trabalhadores. Ele acaba de liberar bilhões para dar garantias aos investidores (especuladores) e aos bancos (agiotas), enquanto o funcionalismo do Banco do Brasil e da Caixa Federal, em greve nacional desde o dia 30 de setembro, continuam sem proposta de reajuste de salários ou de PLR.

Neste momento, é importante que os(as) trabalhadores(as) se organizem para denunciar o papel nefasto que os governos vêm desempenhando e a ganância dos banqueiros.

A Conlutas está convocando um ato em frente à Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) para chamar a atenção de todos (as) a este respeito. Convocamos todos (as) a participar deste movimento que integra a jornada de luta.