Cláudia Durans, mulher, negra e socialista

Claudia Durans
Kit Gaion

A Conferência Nacional do PSTU aprovou a companheira Cláudia Alves Durans como pré-candidata a vice-presidente. Claúdia tem 45 anos e é professora de serviço social na Universidade Federal do Maranhão.

A candidatura de Claúdia expressa a luta de negros e mulheres contra a opressão do sistema capitalista. É também uma forma de se opor à candidatura de Dilma Rousseff, que busca se apresentar como representante da luta das mulheres. “Dilma não resolverá nossos problemas apenas porque é uma mulher. Mais do que o sexo do candidato, importa é se vai governar com os trabalhadores, que programa defenderá. Não basta ser mulher, tem de ser socialista”, afirma Claúdia.

A pré-candidata também esteve no Haiti do dia 30 de março a 3 de abril, com a caravana da Conlutas. Ela percorreu as ruas de Porto Príncipe e testemunhou toda a destruição e a situação precária em que vivem os haitianos.

Trajetória de luta
Claúdia é uma das fundadoras do PSTU, tendo sido uma das principais militantes do partido no Maranhão. Iniciou sua militância ainda no movimento estudantil. Hoje, atua junto aos professores universitários, sendo parte da direção do sindicato nacional, o ANDES-SN. Doutora pela Universidade Federal de Pernambuco, Claúdia é autora do livro “Limites do Sindicalismo e Reorganização da Luta Social”, onde analisou a experiência de luta dos ferroviários e metalúrgicos do Maranhão.

Post author da redação
Publication Date