O sorriso de Rafa nos deixou neste dia 25 de abril. Rafa se foi. Morreu de um infarto fulminante, uma semana depois de perder seu pai. Era jovem, tinha pouco mais de 30 anos. Por vários anos militou no PSTU em Campinas, deixando uma grande quantidade de amigos e camaradas.

Há alguns anos tive o privilégio de viver com Rafa, dividíamos a mesma casa com outro companheiro em Campinas. Rafa tinha chegado há pouco tempo, mas já havia conquistado a amizade de todos os companheiros e companheiras do partido e de seu trabalho. Era de riso fácil. Sua risada contagiava os que estavam por perto, por ser muito natural e característica. Desde que chegou a Campinas foi bem acolhido por todos. Era humilde, curioso, conversador. Também tinha opiniões firmes e sempre as manifestava, mas sempre estava disposto a escutar outros pontos de vista.

A maioria das fotos que guardo de Rafa são em ambientes descontraídos, com uma cervejinha na mão e em frente à churrasqueira. No tempo em que vivemos juntos, Rafa foi o primeiro a fazer amizade com todos os novos vizinhos. Quando chegávamos depois do trabalho, lá estava ele batendo papo com as vizinhas e vizinhos, falando da vida, da situação do país, contagiando a todos com seu bom humor e sua visão crítica da sociedade capitalista.

Rafa estudou Serviço Social na Unesp e foi ativista estudantil desde cedo. Depois de se formar passou a atuar como trabalhador social e sempre se manteve ativo política e sindicalmente. Em seu dia a dia, demonstrava grande preocupação pelas pessoas que o rodeavam e grande sensibilidade em relação ao sofrimento dos trabalhadores e jovens que atendia.

Nos últimos anos nos falamos pouco, já que a vida nos distanciou, mas cada vez que falava com ele era como se falasse com um irmão. Rafa era dessas pessoas que a gente parece conhecer há muito tempo mesmo conhecendo há pouco.

Em nome de todos os companheiros e companheiras do PSTU de Campinas quero mandar nossas mais sinceras condolências à família de Rafa. Não podemos imaginar a dor que estarão sentindo seus familiares próximos depois de perder a Rafa e a seu pai em menos de uma semana.

Todos os que o conhecíamos guardamos um enorme carinho por Rafa. Infelizmente não poderemos mais contar com seu sorriso fácil e sua luta diária em defesa dos trabalhadores e da juventude. Em nome de Rafa e dos muitos caídos de nossa classe nessa pandemia seguiremos lutando para acabar com a opressão e a exploração capitalista. Seguiremos com raiva contra esse sistema, mas também com o bom humor, o sorriso e a ternura que caracterizava a nosso grande companheiro.

Camarada Rafa, presente!

Otávio

PSTU-Campinas