Bush será recebido com protestos no Brasil e na Argentina

Conlutas e campanha contra a Alca preparam atos para 5 de novembroA Casa Branca confirmou a participação do presidente norte-americano George W. Bush na IV Cúpula das Américas, encontro promovido pela Organização dos Estados Americanos (OEA), entre 3 e 5 de novembro, em Mar del Plata, na Argentina. A imprensa do país chegou a cogitar a hipótese do cancelamento da viagem de Bush à Cúpula, já que últimas pesquisas indicam que o repúdio a sua presença já ultrapassa 85%. A rejeição à vinda de Bush aumenta diante da militarização da cidade de Mar del Plata – cerca de 2,5 mil agentes norte-americanos devem desembarcar no mais ilustre balneário argentino – com 450 mil habitantes e a 400 km de Buenos Aires.

A Casa Branca informou que Bush participará da Cúpula para “dialogar com os líderes do hemisfério democraticamente eleitos e promover a consolidação da democracia e a expansão da oportunidade econômica e da prosperidade mediante mercados abertos e livre comércio”. “Uma hipocrisia perversa”, segundo as organizações que preparam a III Cúpula dos Povos, que será realizada a partir de 1º de novembro em Mar del Plata. “Um país que invade outros usando mentiras como pretexto, que assassina e tortura a olhos vistos, não pode ensinar democracia a ninguém”, afirmam os organizadores, em especial a Aliança Social Continental (ASC) e a Central de Trabalhadores Argentinos (CTA). A marcha de 20 mil pessoas ocorrida em setembro – que se enfrentou com dois mil policiais para chegar até a histórica Praça de Maio, em Buenos Aires – demonstra o descontentamento social das massas argentinas em relação aos representantes do imperialismo hegemônico. Outros protestos estão programados para Mar del Plata, durante a Cúpula. Há previsão de caravanas e delegações de outros países.

Além da cúpula, Bush deve ser alvo de protestos ainda pela implantação de uma base militar dos EUA no Paraguai. A localização geo-estratégica permitiria o controle sobre os países vizinhos, como o Brasil e a Argentina, expandindo a militarização imperialista pela América Latina.

Conlutas e Campanha Nacional Contra a Alca preparam ato
Bush estará no Brasil entre 5 e 6 de novembro, depois de sair da Cúpula da Américas, como parte da agenda diplomática latino-americana. O anúncio foi feito pelo porta-voz da Casa Branca, Scott McClellan. Até o momento há informações não-confirmadas de que ele passaria algumas horas em Brasília, no dia 5, e estaria em Salvador, no dia 6. No manhã do dia 10 de outubro, a Conlutas, a Secretaria Nacional e o Comitê São Paulo da Campanha contra a Alca reuniram-se em São Paulo, para tratar da organização de protestos contra a presença de Bush no Brasil. Outros setores também estavam convidados à reunião (Via Campesina, CUT, Esquerda da CUT) mas, por razões diversas, não estiveram presentes.

Segundo Zé Maria – da secretaria nacional da Conlutas e presidente do PSTU -, foi acertado na reunião a preparação de protestos unitários em todo o país contra a presença de Bush no Brasil. A idéia é fazer atos não só por onde ele passar, mas também em todas as capitais, sejam em frente aos consulados ou em empresas que simbolizem a dominação que os EUA querem impor ao mundo. Inicialmente, estes atos estão indicados para o dia 5 de novembro, já que esta é a data definida internacionalmente como dia de protesto em toda a América Latina contra a Cúpula das Américas e os EUA.

Uma nota pública será redigida e assinada pelas entidades brasileiras, explicitando o conteúdo do protesto e conclamando à mobilização em todos os estados.