Banrisul dá um passo largo rumo a privatização

Nesta terça-feira, 31, acontece na Bovespa, em São Paulo, a cerimônia de entrada do Banco do Estado do Rio Grande do Sul (Banrisul) no nível 1 de Governança Corporativa. O Banrisul, que já era listado na Bolsa de Valores do Extremo Sul desde 1931 e na Bovespa desde 1972, passa a ter seus papéis integrados à carteira de ações com Governança Corporativa Diferenciada (IGC). Cada ação do banco custará R$ 12. Na cerimônia estarão presentes a governadora do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius (PSDB), e o Secretário da Fazenda Aod Cunha.

Trocando em miúdos, isso significa que o banco está dando mais um passo para ter não só uma cara, mas também um conteúdo, cada vez mais de banco privado. Por isso, nada se tem a comemorar, mas a lamentar, pois o que a sociedade gaúcha precisa é de um banco verdadeiramente público e não de mais um banco privado, dentre os muitos que já existem. Assim, nesta terça-feira, os trabalhadores do Banrisul vestirão preto, em sinal de protesto e de luto, pois nada temos a comemorar.