Após boicotar reunião, prefeitura aceita prazo para analisar proposta

No Pinherinho, porém, o clima é de apreensão. Moradores estão preparados para resistir.Após muita insistência, a Prefeitura de São José dos Campos pediu na tarde desta sexta-feira, dia 13, um prazo de cinco dias para analisar o protocolo de intenções entregue pela comissão que reúne representantes do Governo Federal, Governo do Estado, OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) e moradores do Pinheirinho. O documento prevê a regularização da área invadida há oito anos pelos sem-teto.

No entanto, nenhum acordo foi fechado. O mandado de reintegração de posse permanece, o que significa que a ameaça de uma ação de despejo por parte da PM continua vigente.

“Os moradores estão mantendo a resistência. Continuamos apelando pra evitar um banho de sangue. Se isso ocorrer nas próximas horas a responsabilidade será inteiramente do prefeito Kury e do governo Alckmin, que comanda a policia militar”, disse Toninho Ferreira, advogado dos moradores do Pinheirinho.

O advogado informa a dificuldade em dialogar com a Prefeitura. Pela manhã a mesma comissão tentou se reunir com a administração. No entanto, numa postura arrogante, a Prefeitura sequer compareceu. A reunião foi retomada às 15h. Mais uma vez a prefeitura não compareceu. Em nota oficial a administração afirmou: “A linha de ação da prefeitura está à disposição da Justiça. A prefeitura só vai às reuniões se for convocada pela Justiça”.

“Estamos tristes, mas temos esperança que a prefeitura assine a proposta até terça ou quarta-feira e que não aconteça a reintegração(de posse)neste período”, disse Antonio Ferreira.

No Pinheirinho, porém, o clima é de apreensão. Os moradores estão preparados para resistir.