Apesar do resultado, oposição bancária sai fortalecida em Belo Horizonte

Chapa 4 tem maioria dos votos nos setores que mais se enfrentam com o governoApesar de a chapa da CUT ter vencido o segundo turno das eleições para o Sindicato dos Bancários de Belo Horizonte e região, a Oposição Bancária sai do processo fortalecida e pronta para se enfrentar com a direção do sindicato e os banqueiros na campanha salarial que se inicia.

No segundo turno, que ocorreu entre os dias 6 e 10 de junho, a chapa cutista obteve 2.426 votos (42% dos votos). Por outro lado, as duas principais chapas da oposição, as chapas 3 e 4, obtiveram juntas, respectivamente, 1.658 e 1.404 votos, mais de 52%. Ou seja, a oposição teve a maioria dos votos e a chapa da situação sai das eleições enfraquecida com o apoio minoritário da base.

Entre os bancários da ativa, a chapa 4, apoiada pela Conlutas, ficou em segundo lugar, com 24% dos votos. A chapa cutista, por sua vez, beneficiou-se com a divisão dos votos da oposição nos bancos privados. Além disso, a Articulação promove conscientemente uma mudança no perfil dos sindicatos que dirige, privilegiando a inserção nos bancos privados, setor com ainda pouca experiência de luta. Ao mesmo tempo, tenta esvaziar o movimento nos bancos públicos, onde a luta contra o governo, a CUT e os banqueiros é mais explícita.

Nos locais onde houve maior enfrentamento com a CUT e o governo, a Oposição Bancária teve a maioria dos votos. No Banco do Brasil, a Chapa 4 chegou a ter 145 votos, contra apenas 53 da chapa da situação. Segundo Cacau, da Chapa 4, “nessas eleições se pode observar o profundo desgaste da CUT e do governo entre os bancários”. A CUT colocou todo o aparato do sindicato para beneficiar a Chapa 1, chegando até a promover um comício disfarçado com o presidente da central, Luiz Marinho.

A Oposição promoverá uma plenária de balanço das eleições, além de organizar a atuação na campanha salarial.
Post author
Publication Date