Vera está em campanha no Nordeste. No último domingo, dia 18, ela chegou à Bahia. Na segunda-feira, dia 19, participou de panfletagem na Estação da Lapa, no centro de Salvador. À noite, a candidata à presidência da República pelo PSTU e pelo Polo Socialista e Revolucionário participou de um debate na Universidade Federal da Bahia (Ufba).

Da Bahia, Vera seguiu para Sergipe. Em Aracaju, cidade onde morou e iniciou a militância política, Vera participou de uma coletiva com a imprensa, de panfletagens em fábricas e de uma plenária com a militância e apoiadores da campanha.

Neste momento, Vera está em Fortaleza, capital do Ceará. Em seguida, viaja para São Luís (MA), onde encontrará com sua vice, a indígena Raquel Tremembé. Juntas, irão visitar diversas comunidades quilombolas.

O Pará, já no Norte do Brasil, será o último estado do roteiro, antes de retornar a São Paulo, onde realizará o encerramento da campanha.

CALENDÁRIO

– Ceará: 22 a 25 de setembro

– Maranhão: 25 a 28 de setembro

– Pará: 28 a 30 de setembro

Reta final

Vera encerrará a campanha com caminhada pelas ruas de São Paulo

Vera encerrará a campanha com uma grande caminhada pela Rua de 25 de Março, na região central da cidade de São Paulo, no 1º de outubro, sábado, às 10h. A candidata à presidência da República pelo PSTU estará acompanhada dos candidatos do estado de São Paulo, pela militância do partido e do Polo Socialista e Revolucionário.

“Foi aqui em São Paulo que demos o ponta-pé inicial da campanha e, aqui, faremos nosso encerramento. Queremos realizar uma linda e animada caminhada, conversar com a população e reafirmar a defesa de um programa socialista para o Brasil”, diz Vera.

“Estamos fazendo uma bonita campanha e a militância está animada, mesmo com todas as dificuldades impostas pela polarização política que vive o Brasil e pelas leis antidemocráticas do processo eleitoral”, completa.

Campanha

Avançar com a campanha #QueroVeraNoDebate

No próximo sábado, dia 24, acontecerá mais um debate entre os presidenciáveis em que a Vera foi excluída. O evento, organizado por SBT, CNN Brasil, Estadão, Terra, Veja e as rádios Eldorado e Nova Brasil, com transmissão a partir de 18h15, será nos estúdios do SBT, em Osasco, na Grande São Paulo.

O pool (agrupamento) de veículos chamou apenas aqueles candidatos cujos partidos possuem ao menos cinco representantes na Câmara dos Deputados: Lula (PT), Bolsonaro (PL), Ciro Gomes (PDT), Simone Tebet (MDB), Soraya Thronicke (União Brasil), Felipe d’Avila (Novo) e Padre Kelmon (PTB). A mesma coisa fará TV Globo, no debate programado para o dia 29.

A exclusão dos demais candidatos é uma opção do pool de veículos, pois a legislação eleitoral obrigada convocar os partidos que têm representação parlamentar, cabendo aos veículos o direito de convocar os demais. Estes veículos contribuem para que o processo eleitoral se torne cada vez mais antidemocrático e negam à população um direito constitucional, que é o direito à informação, ao não permitir que os candidatos apresentem suas propostas à população de forma igualitária.

A grande imprensa tem medo da Vera, a única mulher negra candidata à Presidência, e do programa que ela defende. A grande mídia, que pertence à burguesia, não garante espaço igualitário para os revolucionários apresentarem seu programa e ideias ao conjunto da população por uma questão de classe. Eles não realizam debates com a presença da Vera porque não querem, por escolha. O objetivo é impedir que a voz e o programa dos revolucionários ecoem.

Mas eles não irão nos calar! Vamos seguir denunciando a postura antidemocrática da grande mídia. Chamamos você a participar da campanha em defesa da presença da Vera nos debates.

Vamos seguir fazendo uma forte agitação nas redes sociais, usando a hastag #QueroVeraNoDebate.

Processo

Campanha da Vera entra com ação no TSE contra o jornal “O Globo”

O PSTU e a campanha da Vera protocolou no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), um pedido de medida liminar para a inclusão do nome da Vera no “quiz” (questionário) promovido pelo jornal “O Globo”, em seu portal de notícias.

O teste, que visa apontar aos eleitores qual presidente mais se identifica com os ideais deles, foi realizado com apenas seis os 12 candidatos que disputam a presidência da República.

Ao não inserir a Vera no “quis”, o jornal “O Globo” tolhe o direito da candidata de ser conhecida e apresentada para os eleitores. Ao exigir que o nome da Vera seja incluso no “quis”, “se pretende que as minorias tenham garantias de igualdade”. Condutas como a praticada pelo jornal “O Globo” são um grave risco para o pluralismo político.