Abaixo a violência homofóbica!

No último dia 14, dois casos de homofobia trouxeram à tona novamente o debate sobre a violência que a população GLBT sofre cotidianamente no país. Uma gangue de jovens da classe média em São Paulo atacou três homossexuais na avenida Paulista e um militar disparou um tiro de fuzil contra um gay em Copacabana, ao final da parada do orgulho GLBT carioca. Após o festival de capitulações de Serra e Dilma nestas eleições, os setores mais reacionários e preconceituosos da sociedade mostram sua cara.

Os casos ocorridos neste final de semana são muito emblemáticos do nível de barbárie que se encontra nossa sociedade. Os dois casos colocam em pauta dois problemas graves. De um lado, os rumos das paradas do orgulho GLBT precisam ser radicalmente repensados. As paradas surgiram como resposta à violência, inclusive as agressões policiais, a que sofrem os homossexuais. De um dia de luta e afirmação se transformaram em carnavais fora de época. Hoje são um grande negócio, gerando lucros imensos para empresários. Na mesma proporção em que foram se mercantilizando, perderam o conteúdo político e a combatividade. Ao invés de fortalecerem a luta GLBT, desarmam o movimento e deixam expostos os homossexuais à violência.

Após dois mandatos do governo Lula, nenhuma lei federal em favor dos GLBTs foi aprovada. O governo acenou com o projeto Brasil sem Homofobia e a Conferência Nacional GLBT e ganhou o apoio movimento, porém nada saiu do papel.

Durante as eleições foi possível observar toda a reação conservadora contra o aborto, o casamento gay e o projeto de lei que criminaliza a homofobia. Dilma Roussef deu um show de capitulação aos líderes religiosos em troca de votos. Agora, os conservadores cobram a fatura.

É preciso fazer uma forte denúncia da reação conservadora e fascistóide que começa a aparecer na sociedade. Gays e lésbicas precisam retomar suas bandeiras de luta e sua organização em movimentos independentes do governo e do empresariado. Queremos a criminalização da homofobia, união civil e igualdade de direitos já! Queremos o fim da carnavalização de nossas lutas! Queremos o apoio de todos os setores que sofrem com a opressão e a exploração nesta sociedade! Entre em contato: glbt@pstu.org.br.
Post author Secretaria Nacional GLBT do PSTU
Publication Date