‘Construção ao Socialismo´ ingressa no PSTU

Uma das votações no congresso
Henrique Canary

Nos dias 16 a 18 de novembro, ocorreu, na cidade de Maringá (PR), o 1º Congresso da organização trotskista Construção ao Socialismo (CAS).

O CAS foi fundado em setembro de 2002 por ativistas do movimento estudantil que estiveram na Argentina e viveram pessoalmente o processo revolucionário conhecido como “Argentinazo” no final de 2001. Entusiasmados com a situação argentina e latino-americana, esses jovens militantes voltaram ao Brasil com a firme determinação de fundar um partido revolucionário e internacionalista.

O CAS se desenvolveu como uma forte organização regional, passando a dirigir não só o Diretório Central de Estudantes da Universidade Estadual de Maringá, mas também um importante sindicato da região, o Sindicato dos Servidores Municipais de Maringá (Sismmar), cuja história é marcada por heróicas lutas. De um grupo meramente estudantil, o CAS se transformou numa respeitada organização de trabalhadores e dos setores mais explorados e oprimidos.

‘Coluna

Discussões sobre o ingresso no PSTU
Há cerca de dois anos, começou-se a pautar no interior do CAS a possibilidade de um ingresso no PSTU e na LIT-QI, com o objetivo de fortalecer um projeto estratégico em âmbito nacional e internacional. A experiência prática conjunta entre CAS e PSTU no movimento sindical e estudantil, a participação unitária nas eleições burguesas e o debate político e programático permitiram que as duas organizações avançassem muito rapidamente nessa perspectiva e começassem a encaminhar um processo planejado de ingresso dos companheiros do CAS no PSTU.

Esse foi o tema central do 1° Congresso do CAS (até então só haviam ocorrido plenárias e conferências). A resolução final aprovada resgata o mérito dos companheiros na construção de uma organização revolucionária com uma séria vocação internacionalista e operária e aponta a necessidade de se avançar num projeto ainda mais importante: um partido revolucionário de combate com peso nacional, ligado a uma organização marxista internacional.

Um congresso emocionante
Embora houvesse um grande acordo político sobre a necessidade de ingressar nas fileiras do PSTU e da LIT, o Congresso do CAS foi marcado por discussões extremamente apaixonadas, que refletiam a responsabilidade, o entusiasmo e a emoção de dissolver uma organização construída com o esforço de dezenas de militantes durante pelo menos cinco anos. O nó na garganta de todos os oradores era indisfarçável.

A leitura da resolução final foi a parte mais tocante do Congresso. Muitos companheiros acompanhavam a leitura com os olhos cheios de água, provavelmente lembrando os duros embates e também os alegres momentos de todos esses anos de militância em comum.

Aprovada a resolução final por unanimidade, a bandeira do CAS, até então estendida atrás da mesa do Congresso foi retirada e cuidadosamente dobrada para fazer parte da história da construção do partido revolucionário no Brasil. No lugar dela, uma enorme bandeira do PSTU foi erguida. Nesse momento, a emoção chegava a seu máximo. Alguns companheiros vestiram imediatamente camisetas e bottons do PSTU e da LIT. Todos em pé, punho esquerdo erguido, entoaram a Internacional. Ao final, os delegados se abraçavam numa mistura de riso e lágrimas. Uma valorosa organização revolucionária, o CAS, deixava de existir. Outra, o PSTU, dava um salto e se fortalecia qualitativamente.

Perspectivas
Se é verdade que o CAS deixou de existir como organização, também é verdade que o PSTU não será exatamente o mesmo depois desse congresso. CAS e PSTU deram uma mostra concreta do quanto é mentirosa e reacionária a idéia de que “a esquerda só se une na cadeia”.

Unimos-nos para a luta em base a um sólido acordo teórico, programático, político, metodológico e também moral. A causa da construção de um partido revolucionário nacional e internacional só teve a ganhar. Esperamos que esse processo sirva de exemplo para a discussão com outros grupos e organizações revolucionárias dentro e fora do Brasil.

Aos que ingressam agora em nossas fileiras dizemos: bem vindos, camaradas!

RESOLUÇÃO SOBRE INGRESSO NA LIT E NO PSTU
Veja os principais trechos da Resolução final do Congresso do CAS.

CONSTRUÇÃO AO SOCIALISMO, desde o seu surgimento, sempre colocou como desafio fundamental a edificação de um partido nacional e internacional, capaz de unificar os revolucionários em torno a um programa, uma política e uma metodologia para a revolução proletária. (…)

Em toda nossa existência, nunca concebemos a construção desse Partido (…) como o crescimento linear de nossa própria organização ou como o resultado de acertos políticos geniais. Ao contrário, sempre (…) buscamos todo o tipo de acordos e frentes que pudessem fazer avançar a unidade dos revolucionários.

(…) Com esse espírito, em junho de 2007 CAS e PSTU estabeleceram um Comitê de Enlace, cujo objetivo era avançar na discussão sobre a entrada do CAS no PSTU, entendendo-se essa entrada como parte do processo mais geral de reorganização das forças revolucionárias na América Latina e no mundo e, em particular, como parte do processo de reconstrução da LIT. (…)

Quaisquer que tenham sido nossas divergências ao longo desses cinco anos, consideramos todas elas como parte do passado ou como desacordos de caráter tático e secundário. Chegamos ao final desse processo com a firme determinação de ser parte da reconstrução da IV Internacional desde um patamar superior, quais sejam as fileiras da LIT e do PSTU. Com esse passo teremos honrado da melhor forma possível os ideais que nos uniram há cinco anos atrás quando fundamos o CAS.

Nas palavras de Trotsky, “nosso objetivo é a libertação material e espiritual total dos trabalhadores e explorados, mediante a revolução socialista. Ninguém a preparará, ninguém a guiará, exceto nós, a Quarta Internacional!” (…)

O Congresso do CAS resolve:
1) dissolver CONSTRUÇÃO AO SOCIALISMO como organização e ingressar imediatamente nas fileiras da LIT e do PSTU, (…) acatando, por conseguinte, seu programa, estatutos e estrutura organizativa;

2) fazer publicar à toda a periferia, ex-militantes e amigos do CAS, bem como às outras organizações de esquerda nacionais e estrangeiras essa decisão.

Abaixo o capitalismo e o imperialismo!
Viva a Revolução Proletária Mundial!
Viva o Partido Mundial da Revolução Socialista – IV Internacional!

Congresso do CAS
18 de novembro de 2007.
Votação: Aprovada por unanimidade de votos plenos e consultivos.

Post author
Publication Date