UST apóia candidatos operários da USI no estado de Aragua

No próximo domingo, acontecem eleições na Venezuela. A Unidade Socialista dos Trabalhadores (UST), seção venezuelana da LIT-QI, está defendendo o voto nulo no país. No entanto, no Estado de aragua, apóia as candidaturas da Unidade Socialista de Esquerda. A Unidade Socialista dos Trabalhadores (UST) da Venezuela convida todos os trabalhadores a votar nulo nas eleições de 23 de novembro. Esta é a melhor maneira de castigar o chavismo por suas promessas não cumpridas, por suas medidas pró-capitalistas e antidemocráticas e de castigar a oposição burguesa por ter submetido, durante décadas, os trabalhadores venezuelanos a uma situação de miséria e exclusão.

Entretanto, no estado de Aragua, a Unidade Socialista de Esquerda (USI) lançou a candidatura de Luís Hernández, dirigente sindical da Pepsi-Cola, que é candidato a prefeito do município Zamora (Vila de Cura). Também lançou o companheiro Ricardo Gallardo, presidente da Unete de Aragua, que concorre ao Conselho Legislativo. Outros dirigentes operários se somaram como candidatos.

A UST reconhece as candidaturas destes lutadores operários e populares lançados pela USI como uma alternativa tanto aos candidatos apresentados pela burguesia golpista como àqueles apresentados pelo PSUV no estado de Aragua. Fazemos um chamado a todos os trabalhadores de Aragua a votar nos candidatos operários e socialistas da USI.

Para o governo ecdemais cargos de Aragua, onde concorrem os companheiros da USI, e nos demais estados, seguiremos defendendo o voto nulo, pois não se apresentaram outras alternativas independentes com relação aos partidos burgueses de oposição e ao governo Chávez.

Por último, chamamos os candidatos da USI a encabeçar o chamado à construção em nível nacional de um PARTIDO DE TRABAJADORES REVOLUCIONÁRIO E SOCIALISTA, que seja independente da burguesia golpista e do governo Chávez. Um partido que seja capaz de colocar-se à frente das lutas, que não vacile em expor as reivindicações mais sentidas da classe trabalhadora, que seja contra os patrões privados ou públicos e tenha como estratégia a luta por um governo dos trabalhadores e do povo, sem burgueses, sem burocratas e sem corruptos.