Uma alternativa de esquerda e socialista em Pernambuco

Lançamento da pré-candidatura majoritária do PSTU em Recife oficializa início de diálogo com PCB e PSOLA disputa eleitoral em Recife se acirrou nesta sexta-feira (13/04). O lançamento da pré-candidatura do PSTU para prefeitura de Recife pode ter provocado um cenário de forte disputa. Apesar de ainda não ter nada confirmado, a Frente de Esquerda pode sair. Tanto o PCB quanto o PSOL indicaram a possibilidade de fechar a parceria com o PSTU na capital pernambucana.

A consolidação da Frente de Esquerda pode ser a alternativa para a classe trabalhadora em meio ao chove-não-molha do PT, entre João da Costa, Maurício Hands e quem sabe João Paulo, orquestrado por Eduardo Campos (PSB) e a fragilidade da oposição de direita que não consegue firmar uma unidade – tendo nesse cenário as possibilidades de candidatos o Raul Jungmann (PPS), Daniel Coelho (PSDB), Mendonça Filho (DEM) e Raul Henry (PMDB).

O PT não tem projeto diferente de Eduardo, mas sim orientado por ele para garantir os interesses da Frente Popular que são iguais aos dos ricos e iguais também aos da oposição de direita”, denuncia Jair Pedro, nome apresentado pelo PSTU como pré-candidato a prefeito de Recife.

Em sua fala de abertura, ficou clara a importância que o partido está dando para conformação da unidade entre o PSTU, o PCB e o PSOL a partir de um programa socialista para Recife. “Queremos chamar os lutadores para pensar um projeto pela esquerda socialista para Recife, um programa diferente, coerente e independente dos interesses do capital” , explica Jair.

Délio Mendes, militante do PCB e professor da UFRPE, afirmou que é a favor da formação da Frente de Esquerda. “Estou aqui para dizer que o PCB quer a unidade com vocês e quer a unidade com o PSOL”, afirma calorosamente o professor universitário. Para ele, o Recife precisa de uma candidatura anticapitalista e anti-imperialista e com essa unidade entre os três partidos os trabalhadores terão essa alternativa. Até o momento, ainda não foi oficializada a unidade, mas as direções dos dois partidos já vem conversando sobre a Frente de Esquerda.

O PSOl também sinalizou no evento o interesse em compor uma chapa com o PSTU. “Nos colocamos a disposição para iniciar o debate com o PSTU para construção de um projeto programático para Recife” , afirma Zé Gomes, da direção executiva estadual e membro da direção nacional do partido. Eles já apresentaram o nome de Noelia Brito como pré-candidata do PSOL e, de acordo com Zé Gomes, já estão dialogando com a Consulta Popular e o PCB para formação de uma aliança em Recife.

A Direção Regional do PSTU avalia que o ato de lançamento da pré-candidatura de Jair fortaleceu a possibilidade de formação da Frente de Esquerda. “Estamos apostando todas as nossas fichas nessa unidade. O PSTU acredita que com a Frente de Esquerda seja possível denunciar com mais força as mentiras e traições do PT e do PSB“, afirma Kátia Telles, da direção do partido. “Queremos também com essa aliança entre os três partidos mostrar aos trabalhadores e trabalhadoras de Recife que eles tem uma alternativa de esquerda e socialista de verdade, não a falsa apresentada pela Frente Popular, que há anos privilegia os interesses dos ricos aqui no estado e em Recife” , conclui.

O lançamento aconteceu na sede do Movimento dos Trabalhadores Cristãos (MTC), no bairro da Boa Vista e contou com a presença de membros do PSOL e do PCB, além de representantes do movimento sindical e estudantil, como diretores da CSP-Conlutas, do SIMPERE, SINTECT, ANDES NE, SINDJUD e da ANEL.

Jair denuncia Frente Popular
Nosso outro objetivo é garantir uma candidatura que questione Eduardo, João e também a Dilma que só vem realizando cortes no setor da saúde, educação e habitação” , afirma Jair Pedro. De acordo com o pré-candidato do PSTU, a Frente Popular já demonstrou de que lado está.

Segundo Jair, o PT não garante aos trabalhadores melhores condições de vida. O que se vê na capital pernambucana há anos é uma saúde, educação, habitação, assistência social de péssimas qualidades. Trabalhadores sem condições de trabalho nem salários dignos e usuários do serviço público recebendo péssimas prestações de serviços. “Esse é o modelo do PT de governar. Prioridade para os empresários e esmola para os trabalhadores e para a população pobre. Isso nós já tínhamos visto com os governos de direita” , ataca Jair.

Da mesma forma segue o estado de Pernambuco. Jair explica que só quem ver a cor do dinheiro com o crescimento econômico de Pernambuco é os empresários e os banqueiros. Enquanto isso, a classe trabalhadora que sofre para garantir esse crescimento fica desassistida, com salários baixos, sofrendo com as péssimas condições de trabalho e um forte assédio moral.

“O crescimento econômico do estado não beneficia os trabalhadores. O que vale é a finalização das obras para a Copa como está acontecendo em todo o país. Eles jogam polícia nos canteiros de obras para evitar possíveis manifestações dos operários, sem falar dos sindicatos e organizações do movimento que se venderam à Frente Popular. Um verdadeiro absurdo” , denuncia Jair que finaliza: “Queremos que Pernambuco cresça, mas para os trabalhadores” .

Jair Pedro
Fundador do PSTU no estado de Pernambuco, a trajetória de Jair Pedro se confunde com as lutas dos trabalhadores. Em junho deste ano Jair completará 51 anos de idade e de muito suor como todos os trabalhadores. Há mais de 20 anos como servidor do estado no setor da saúde ele constrói uma forte caminhada de resistência aos interesses do capital. Tem nesses vários anos de luta se destacado pelo combate ao racismo e atualmente fortalece o Movimento Quilombo Raça e Classe em Pernambuco, da CSP-Conlutas.