Trabalhadores da GM param a produção por uma hora

Cartaz da campanha da CSP-Conlutas em defesa dos empregos

Uma nova assembleia acontecerá às 14h30, na portaria do setor S10Os metalúrgicos da General Motors pararam a produção por uma hora, nesta terça-feira, dia 31, como parte das mobilizações em defesa do emprego e pelo Dia Nacional de Luta. A parada foi aprovada em assembleia, na entrada do primeiro turno do setor MVA (Montagem de Veículos Automotores). As linhas de produção voltaram a rodar às 6h50.

Hoje acontece a reunião entre o Ministério da Fazenda e a General Motors, e estará em pauta os planos da montadora para a planta de São José dos Campos. No período de um ano, a GM fechou 1.044 postos de trabalho na cidade, segundo dados do Dieese. Outros 2 mil correm risco de serem fechados.

“Assembleia de hoje reafirmou a disposição dos trabalhadores da GM em continuar na luta contra os planos de demissão em massa da montadora. O Sindicato está disposto a negociar, mas não vamos aceitar as demissões”, afirma o presidente do Sindicato, Antonio Ferreira de Barros, o Macapá.

Neste sábado, dia 4, acontece a próxima reunião entre GM e Sindicato, dando continuidade às negociações. As duas partes comprometeram-se a apresentar propostas nesse novo encontro. O local e horário da reunião ainda não está definido.

Cobrança ao Governo Federal
Hoje, Dia Nacional de Luta, faz parte do calendário das mobilizações dos servidores federais para exigir que o Governo Federal atenda as reivindicações da categoria, que está em greve há mais de um mês. Os metalúrgicos da GM também decidiram usar essa data para pressionar o governo a tomar medidas concretas pela manutenção dos postos de trabalho.

LEIA MAIS
Nota do PSTU contra o locaute da GM e a ameaça de demissões