Serra manda na Justiça Eleitoral?

Candidato do PSDB liga para Gilmar Mendes, que suspende votação no STF. Um dia antes, TSE havia dado direito de resposta a favor de Serra, contra o PSTUUma ligação telefônica e o Supremo Tribunal Federal (STF) suspende a votação do recurso do PT que pedia a suspensão da obrigatoriedade dos dois documentos no momento da votação. Uma ligação do candidato tucano José Serra ao ministro do STF Gilmar Mendes. Foi o que jornalistas da Folha de S. Paulo flagraram na tarde desse dia 29 de setembro.

Segundo reportagem do jornal publicado nesse dia 30, repórteres teriam ouvido quando o candidato pediu a um assessor que ligasse ao ministro. Minutos depois, o assessor teria lhe entregue o telefone. Ainda segundo os repórteres, Serra teria cumprimentado Mendes com “meu presidente” (Gilmar Mendes é ex-presidente do STF). O fotógrafo do jornal flagrou o candidato ao telefone com Mendes.

Horas depois, o ministro pedia a suspensão da votação, para analisar o recurso. A votação estava em 7 a 0 a favor da não obrigatoriedade dos dois documentos. O PT entrou com o recurso para suspender essa obrigatoriedade, pois considera que a medida prejudica Dilma, melhor posicionada nas pesquisas de intenção de votos entre os mais pobres, mais propensos, na visão deles, a não apresentarem os documentos.

Ainda segundo o jornal, tanto a assessoria de Serra quanto a de Gilmar Mendes negaram a conversa flagrada pela Folha.

Direito de resposta contra o PSTU
A denúncia ocorre apenas um dia após o Tribunal Superior Eleitoral conceder direito de resposta ao candidato tucano contra o PSTU. Apesar de a ação do PSDB estar tramitando há duas semanas no tribunal, a ministra Fátima Nancy Andrighi, relatora da ação, decidiu o caso somente na reta final da campanha, tirando o último programa de Zé Maria em favor de Serra. O direito de resposta foi definido quando já não havia praticamente tempo hábil para qualquer recurso.

O programa do PSTU questionado pelo PSDB mostrava Serra ao lado do ex-governador do DF, José Roberto Arruda (ex-DEM), preso por 2 meses no escândalo do “mensalão do DEM”. “O PSDB apoiava o governo de Arruda (…) de Brasília. Todos eles têm o rabo preso. Por isso você nunca vê as investigações terminarem em prisão de banqueiros e políticos”, afirmou o trecho do programa questionado pela candidatura Serra.

O despacho da ministra simplesmente não contesta a afirmação do PSTU, amplamente documentado e noticiado pela imprensa. O direito de resposta levado ao ar pelo PSDB tampouco responde alguma coisa. Nem ao menos cita o caso Arruda ou o mensalão do DEM. Simplesmente utilizaram os parcos 55 segundos do PSTU para fazer campanha para Serra. Com a conivência da Justiça Eleitoral.

  • Leia o mandado de segurança impetrado pelo PSTU

    REVEJA O PROGRAMA SOBRE CORRUPÇÃO