Senhores, vassalos e o leilão das reservas de petróleo

O céu é o limite. Esse parece ser o slogan da política entreguista do governo Lula. Mais uma prova contundente da sua subserviência ao capital estrangeiro foi dada na Sétima Rodada de Leilão das Reservas de Gás e Petróleo, promovida pela Agência Nacional de Petróleo (ANP), entre os dias 17 e 19 de outubro. No leilão foram ofertados 1.134 blocos, que possuem reservas de gás e petróleo consideradas estratégicas para o país. Os blocos mais importantes foram parar nas mãos de grandes petrolíferas multinacionais, como a Shell, Repsol e BG Energy, que se associaram para arrematar importantes áreas de exploração. A Petrobrás ficou apenas com 38%, sendo que boa parte em parceria com petrolíferas estrangeiras. Vale lembrar que todo petróleo e gás extraído daí será destinado à exportação. O analista de mercado, Caio Carvalhal, respondeu a “única dúvida” sobre a rentabilidade das reservas que pairava sobre as cabeças dos executivos das multinacionais: “em termos de atratividade, o que podemos notar era a dúvida se a rodada seria boa ou ruim”. Ruim não seria pois, como esclarece Carvalhal, o importante “é ganhar dinheiro aqui e não perder o investimento”.

A sanha das multinacionais é explicada pela alta mundial do preço do petróleo. Com a elevação progressiva do consumo mundial de petróleo e a escassez das reservas mundiais, o valor do produto chegou às alturas. Muitas empresas procuram novas reservas em áreas inexploradas para garantir o abastecimento dos grandes centros capitalistas, especialmente os Estados Unidos. Essa tese é compartilhada por executivos e analistas do mercado. “Atribuo esse resultado ao preço do petróleo, à escassez de gás e à volta de algumas teses malthusianas de que o petróleo do mundo vai acabar, o que faz as empresas procurarem óleo em países com muitas áreas inexploradas, como o Brasil”, disse Adriano Pires, conhecido lobista das multinacionais.

Mesmo diante de um crepúsculo mundial do petróleo, o governo Lula não apenas prossegue com a entrega de nossas reservas, como já anunciou que pretende acelerar os próximos leilões.

O diretor-geral da Agência Nacional do Petróleo (ANP), Haroldo Lima, que também é vice-presidente nacional do PCdoB, disse logo após a 70 rodada que o próximo leilão de reservas poderá ser feito daqui a “quatro ou cinco meses” e não só daqui a um ano, como prevê o cronograma estabelecido no primeiro leilão. Haroldo Lima considerou o resultado da 70 rodada “excelente” e foi confirmado à frente da ANP por Lula para “transmitir segurança ao mercado”, conforme exibia com indisfarçável orgulho o site nacional do PCdoB. Vejam só que papelão. Além de tocar a pizza no Congresso Nacional, ajudar na liberação dos transgênicos, os comunistas neoliberais estão servindo numa bandeja nossas reservas de petróleo e gás no banquete das multinacionais.

De nossa parte, continuaremos denunciando o entreguismo do governo petista e o saque imperialista das nossas riquezas. Da mesma forma, não podemos nos omitir diante da colaboração ou do silêncio cúmplice da grande imprensa e dos partidos da esquerda reformista. É preciso articular uma luta continental em defesa das reservas de gás e petróleo da América Latina.

Post author
Publication Date