Sede da ANP está ocupada contra o leilão do petróleo

Cerca de 250 pessoas ocuparam, na manhã desta terça-feira, 27, a sede da Agência Nacional do Petróleo, no Rio de Janeiro (RJ). A ação é um protesto contra o a 9ª Rodada de Licitações de áreas para exploração de petróleo e gás. Neste momento, uma comissão de negociação está reunida com o presidente da ANP, Haroldo Lima.

No local, se encontram ativistas sindicais e do movimento popular, principalmente trabalhadores petroleiros. Participam do protesto, entre outras organizações e entidades, Conlutas, MST, Central de Movimentos Populares, CUT, diversos sindicatos e os partidos políticos PSTU, PSOL e PCB.

O leilão está acontecendo nos dias 27 e 28, num hotel também na cidade do Rio. Serão entregues para exploração 271 blocos em 14 setores, totalizando 73.078,70 km² de áreas potencialmente ricas em petróleo e gás. Até o momento 12 blocos já foram vendido, de acordo com a Agência Folha.

A Petrobras só levou um bloco até agora, mesmo assim em parceria com multinacionais da Colômbia e de Portugal. Já a petroleira ONX, do empresário Eike Batista, arrematou sete blocos.

A 9ª Rodada significa a entrega das riquezas do Brasil. Enquanto Lula alardeia a descoberta de mais um poço de petróleo em Santos, joga nas mãos do capital privado, principalmente estrangeiro, um patrimônio que é dos trabalhadores do país.

LEIA TAMBÉM:

  • O petróleo é nosso?
  • Reveja o especial sobre a 6ª rodada de leilão de petróleo e gás, de 2004