Secretário da cultura de São Paulo é vaiado na abertura do Festival de Cinema Latino

Na noite de ontem, 26 de julho, ocorreu a cerimônia de abertura do Festival de Cinema Latinoamericano de São Paulo. Além da exibição do filme “Corpo Elétrico”, do diretor Marcelo Caetano, o evento foi marcado pela presença do secratário da cultura, André Sturm, que foi impedido de falar pelas vaias, gritos de “fora Sturm!”, “descongela a cultura”, “fora Doria” e “fora Temer”, que veio dos espectadores. O secretário pediu por respeito para poder fazer seu discurso. Mas sua voz foi abafada pelos protestos da multidão, afinal, como respeitar alguém quem tira os direitos dos trabalhadores e seus filhos?

Sturm, capacho do governo PSDB, não passará!
André Sturm segue, desde o início de sua gestão, a política de Doria, o prefeito playboy: congelou os investimentos na cultura e, consequentemente, precarizou ainda mais o trabalho de milhares de trabalhadoras e trabalhadores da categoria artística paulistana.

Além de ser um capacho dos governos PSDB em suas políticas, também imita a truculência psdbista. Em uma reunião ameaçou um agente cultural, dizendo-lhe “vou quebrar sua cara“.

Mesmo sendo vaiado pela multidão na noite de ontem, Sturm fez seu discurso que foi completamente inaudível. Mas o recado foi dado ao secretário: enquanto os governos e seus capachos tirarem nossos direitos, nossa voz não se calará. Ao contrário, ecoará!

O prefeito playboy João Doria e seus aliados já mostraram que eles só fingem que são trabalhadores, mas que na verdade não passam de donos de empresas que querem lucrar as nossas custas. Doria em pouco tempo de governo já tirou o leite das escolas, já cortou o transporte das crianças, cortou remédios das farmácias populares e quer tirar aos poucos o passe livre dos estudantes! Além disso, pelo menos dois moradores de rua morreram de frio em SP sob sua gestão (assim como na gestão Haddad) mostrando o descaso que a prefeitura tem com os mais necessitados e carentes. Doria quer privatizar a cidade toda, quer que os lugares sejam apenas acessíveis para quem tem dinheiro para pagar. O prefeito sempre fala em privatização dos locais públicos, como parques e bibliotecas. Ele está ao lado de Temer! E com a cultura não é diferente, com cada vez mais cortes e ameaças de privatização.

Cultura do Povo para o povo!
Ao contrário do que acontece hoje, é preciso cada vez mais investimentos e incentivos a cultura e o lazer. Infelizmente, hoje os trabalhadores e a juventude das periferias pouco tem acesso aos eventos culturais que acontecem pela cidade. Seja pelo preço do transporte ou pelos preços caros dos cinemas, teatros e apresentações. Tudo isso deveria mudar. Deveriam haver mais investimento para a produção cultural, desde as periferias até o centro. Bem como a valorização da cultura produzida nas periferias, como o rap e o funk. Dessa forma, teríamos muito mais acesso as atividades culturais e a diversidade, oferecendo a juventude uma nova perspectiva de ver o mundo através da produção cultural. A política desses governos nunca foi, nem será essa, pois não estão interessados no desenvolvimento cultural e no lazer da população. Por isso, nós gritamos por fora Doria, fora Sturm, fora todos eles! Nós queremos mais investimento na cultura!

 

Por Marina, Rodrigo e Letícia