Rogério concorrerá à eleição da Comissão de Fábrica

Esse mês a Comissão de Fábrica da Volkswagen está comemorando 25 anos de existência. Passados todos esses anos, porém, empresa continua demonstrando que não respeita os trabalhadores. Demonstração que se repetiu ao não aceitar a inscrição da chapa de oposição, onde estava o nome do companheiro Rogério Romancini (maquinista), diretor do sindicato demitido pela empresa e que até agora não foi reintegrado.

A empresa age em acordo com o sindicato, já que a motivação da demissão tem como objetivo não deixar o Rogério concorrer à Comissão de Fábrica pela chapa de oposição na ala 14. Essa atitude da empresa em tentar não permitir que o maquinista concorra é a maior demonstração de que a empresa favorece a chapa apoiada pelo sindicato.

A oposição não ficou calada diante de mais uma tentativa de ataque à livre organização dos trabalhadores e, junto com coletivo jurídico da Conlutas, ingressou na Justiça exigindo que Rogério concorresse. O desembargador Paulo Augusto Câmara, da quarta turma do TRT SP, concedeu liminar obrigando a empresa a aceitar o nome de Rogério na chapa. Essa é mais uma vitória da oposição, já que a grande favorecida era a chapa do sindicato, que aliás nada fez para trazer Rogério de volta, mesmo o metalúrgico sendo diretor da entidade.

Oposição tem quatro chapas
Para inscrever uma chapa de determinada área é necessário que 20% dos trabalhadores daquela ala assinem uma lista. Na ala 5, mais de 400 trabalhadores assinaram a lista. Na ala 14 foram mais de 550 e na ala 13, 350. Nas alas 2 e 4 foram mais de 400 trabalhadores que assinaram a lista da oposição. Não pode haver duplicidade de nome, quem assinou uma lista não pode assinar a outra.
A oposição está concorrendo com 4 chapas nas áreas da produção, o que representa mais de 80% de todos os trabalhadores da planta do ABC.

Convenções para escolher os nomes da oposição
Foram realizadas as convenções com os pré-candidatos em algumas áreas da oposição. Na ala 13, onde o atual Ministro da Previdência Luiz Marinho é funcionário até hoje e que, diga-se de passagem, há 17 anos não ganha da oposição nessa área, participaram da convenção 590 trabalhadores. Nas alas 2 e 4, participaram da convenção mais de 700 companheiros, o que mostra a representatividade das chapas de oposição.

Existe uma enorme expectativa na ala 14, onde trabalha o companheiro Rogério, pois essa é a maior ala da empresa.
Post author
Publication Date