Reunião aprova manifesto contra as demissões e pela estabilidade no emprego

Os sindicatos que compõem o grupo União & Luta (Metabase de Itabira, Metabase de Congonhas e Ferroviários do Espírito Santo) estão contra a suspensão de contratos de trabalho.

No final de novembro, ocorreu uma reunião de sindicatos mineradores, reunindo a Federação dos trabalhadores da Mineração de Minas Gerais, a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Setor Mineral, os Sindicatos dos trabalhadores da extrativa de Paracatu, Patos de Minas, Arcos, Poços de Caldas, Itabira, Congonhas, Ouro Preto e região, além do Sindimina (RJ) e do Sindmármore (ES).

A reunião aprovou um manifesto, que tem como objetivo central a luta pela estabilidade no emprego. Ele se baseia em quatro pontos (veja ao lado), que incluem a redução da jornada e a disposição de levar a luta até o fim.

Tais sindicatos buscarão mobilizar suas bases para impedir as demissões. Também organizarão comitês nos municípios, convocando a população e as associações de moradores a se unir aos sindicatos, em uma grande campanha, como foi a da Alca. Também iremos exigir que os prefeitos, vereadores e partidos se posicionem contra qualquer demissão e pela estabilidade.

Como a Vale é uma empresa com capital estrangeiro, nossa luta terá de ser internacional. Por isso, além dos sindicatos mineradores do país, iremos buscar os sindicatos da Vale de todo o mundo, para levar esta luta em conjunto.

Os sindicatos Metabase de Itabira e de Congonhas/Ouro Preto farão assembléias com os trabalhadores de todas as minas para discutir a crise e preparar a categoria para defender o emprego, ameaçado pela ganância dos patrões.

Nestas assembléias, já deixaremos um aviso aos grandes acionistas da Vale: “Se demitir, vamos parar toda a mina!”

O que exigem os sindicatos
1. Nenhuma demissão, estabilidade no emprego, incluindo os trabalhadores terceirizados

2. Nenhuma redução de direitos, adquiridos pelos trabalhadores em décadas de luta

3. Redução da jornada para 36 horas semanais, sem redução de salário, para que todos possam continuar trabalhando

4. Se a Vale e demais mineradoras se recusarem a garantir a estabilidade no emprego e realizarem demissões em massa, as empresas devem ser reestatizadas ou nacionalizadas.

Post author Efraim Moura, de Itabira (MG)
Publication Date