PSTU repudia atendado a bomba contra a sede da OAB no Rio de janeiro

Em nota, PSTU – RJ exige apuração e punição dos autores do atentado que ocorreu no dia 7 de maçoA cidade do Rio de Janeiro foi surpreendida na tarde do dia 7 de março com um covarde atentado a bomba cometida na sede da OAB da cidade. A bomba explodiu entre o oitava e o nono andar e o prédio teve de ser evacuado. Os bombeiros e o esquadrão antibombas encontraram outros dois artefatos explosivos na sede. Denúncia anônima realizada ao Corpo de Bombeiros, por alguém que se identificava como “militar da reserva”, dava conta que o atentado tinha um motivo: a instalação da Comissão da Verdade do Rio de Janeiro.

O PSTU vem a público denunciar e condenar de forma veemente esse atentado perpetrado por setores que não querem que venham à tona a verdade sobre toda a tortura e repressão praticadas pela última ditadura militar contra aqueles que lutavam por democracia e contra o saque do imperialismo no país. Foram milhares de operários, estudantes e trabalhadores rurais que sofreram todo tipo de abuso, prisões, estupros, demissões, espancamentos, mortes e desaparecimentos.

A ditadura militar governou o país durante 20 anos e se utilizou do Estado para produzir uma guerra suja. Mas não foi só o Estado que colaborou para as torturas e assassinatos, dezenas de empresas financiaram este absurdo, inclusive multinacionais e vários órgãos de imprensa, além de fazendeiros que doaram recursos para a repressão. Tanto os torturadores quanto os que os financiaram permanecem impunes.

Exigimos da presidente Dilma, também torturada neste período, que não coloque mais sinal de igual entre aqueles que torturaram e assassinaram em nome de uma ditadura e aqueles que deram sua vida na luta contra ela. Esse atentado na sede da OAB-RJ só vem confirmar o que o PSTU afirma: a impunidade faz com que os torturadores sigam organizados e, mais ainda, confiantes de que estão livres, apesar de todas as barbaridades que cometeram. Por isso Dilma e o PT têm uma enorme responsabilidade, pois são coniventes com esse acordo espúrio.

O PSTU, que foi construído por muitos militantes e grupos que lutaram contra a ditadura, como a Convergência Socialista, exige de Dilma a apuração e a prisão dos envolvidos nesse atentado no Rio de Janeiro. Sabemos que a Comissão da Verdade que está sendo instalada sofrerá todas as pressões para não ir até o final, mas vamos pressioná-la para que nenhum caso de tortura fique sem esclarecimento e que sejam, enfim, punidos.

Apesar do atentado, os torturadores e os defensores do regime militar não estão tão fortes assim, muito pelo contrário, sabem que no país inteiro cresce o sentimento por Justiça. Não aceitaremos que nossos irmãos e companheiros que sofreram na luta contra a ditadura militar brasileira sejam desrespeitados por acordos cuja finalidade é a de proteger empresas e militares golpistas. Em outros países, não só os chefes militares que mandaram reprimir e torturar o povo foram para a cadeia, mas também os seus executores. No Norte da África, milhões de trabalhadores estão saindo às ruas por democracia e derrubam antigos ditadores. Aqui não pode ser diferente.

A nossa dor, a nossa tristeza e o nosso sangue não são diferentes dos nossos irmãos argentinos, colombianos, uruguaios ou árabe. Fazemos um chamado para que todos aqueles que concordem com esta posição a cerrarem fileiras com o PSTU para que, juntos, exijamos a prisão, o confisco dos bens e punição exemplar para todos os torturadores, golpistas, assim como os seus financiadores. Por uma Comissão da Verdade que investigue e que vá até o final para punir os que tanto mal fizeram ao nosso país. Basta de bombas, intimidações e ditadores. Tortura nunca mais!

Assista o vídeo do ato realizado pelo PSTU contra o atentado